Embraer abre processo de arbitragem contra Boeing após cancelamento de acordo

Reuters

A Embraer esperava poder se beneficiar do poder de marketing da Boeing nas vendas de seus jatos regionais E2

A Embraer afirmou hoje (27) que iniciou processo de arbitragem contra a Boeing, depois que a fabricante norte-americana de aviões cancelou no fim de semana a compra do controle da divisão de aviação comercial da companhia brasileira.

As ações da Embraer despencavam cerca de 14% nos primeiros negócios após o cancelamento do acordo de US$ 4,2 bilhões anunciado em 2018.

VEJA MAIS: Embraer reajusta produção após fim do acordo com a Boeing

Em teleconferência hoje, o presidente-executivo da Embraer, Francisco Gomes Neto, não quis dar mais detalhes sobre o processo e se a empresa poderá abrir um processo na justiça do Brasil ou Estados Unidos.

Executivos da Embraer tentaram assegurar aos investidores que a companhia continua sólida, afirmando que a empresa encontrou US$ 1 bilhão em economias de custo em 2020 e que não teve nenhuma encomenda de avião cancelada por causa da crise do coronavírus.

Apesar disso, Gomes Neto disse que 2020 será “difícil” e que 2021 “será pior do que esperávamos”.

A Embraer esperava poder se beneficiar do poder de marketing da Boeing nas vendas de seus jatos regionais E2. A Boeing, enquanto isso, pretendia comprar a divisão de aviação comercial da brasileira para melhor competir com a Airbus no mercado de aviação regional. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).