Porto Digital investe na criação de talentos locais para a economia digital

Divulgação
Divulgação

Claudio Marinho, criador do Portal Digital

O parque tecnológico Porto Digital, no Recife, uma das ideias mais bem-sucedidas de ecossistema de inovação do Brasil, busca expandir seu projeto pioneiro de desenvolvimento econômico, restauração do patrimônio histórico e impacto social em 2020, mesmo com a variedade de desafios que enfrenta.

Referência em produção de softwares e serviços de alta tecnologia, o distrito localizado no Recife Antigo abriga mais de 11 mil pessoas nas mais de 330 instituições instaladas, que incluem as multinacionais Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e Accenture. Cases de sucesso do distrito incluem empresas com presença global como a Neurotech, especialista em inteligência artificial; a Tempest, empresa de cibersegurança que atende grandes bancos e empresas de mídia, e a In Loco, que fornece inteligência a partir de dados de localização. Os empreendimentos do Porto Digital geram um faturamento anual de mais de R$ 2,3 bilhões e a estimativa é que mais de 3 mil vagas serão criadas este ano (essa meta, obviamente, pode ser adiada).

VEJA TAMBÉM: Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, e fique por dentro de tudo sobre empreendedorismo

“O ambiente de inovação faz parte do alinhamento estratégico e das nossas metas para 2035; é uma das cadeias produtivas que será apoiada, dada a relevância que o Porto Digital tem para a economia do estado”, diz Bruno Schwambach, secretário de desenvolvimento de Pernambuco. Destaques entre os projetos liderados pela gestão do parque tecnológico pernambucano incluem o braço de economia criativa Portomídia; o Laboratório de Objetos Urbanos Conectados (LOUCo), ambiente para experimentação, desenvolvimento e prototipagem em fabricação digital e internet das coisas (IoT); e o festival anual de conhecimento REC’n’Play, normalmente realizado nos prédios e ruas do centro histórico do Recife e atraiu 35 mil inscritos para os quatro dias de evento em 2019.

Getty Images
Getty Images

O centro de Recife, que passa por uma grande transformação com a instalação do parque tecnológico

Mia, Sansa, Liberal, rooftop Cais doSertão: esses são alguns dos cafés e bares onde os empreendedores de startups de base tecnológica fazem negócios no Porto Digital, muitos deles instalados em prédios históricos anteriormente em ruínas. O distrito foi concebido com base no conceito de walkability, ou seja, a ideia é que o trajeto de um ponto a outro não leve mais que 15 minutos a pé.

A comunidade local, tão acostumada a se reunir, sente o impacto do coronavírus, segundo Claudio Marinho, um dos conselheiros e criadores do Porto Digital. Mas os atores do ecossistema se articularam virtualmente, com iniciativas como desafios para aplicar tecnologia aos problemas causados pela Covid-19: “Nosso esforço coletivo online é muito mais eficiente justamente pelo ecossistema presencial, que nos uniu na criação de relações de confiança muito sólidas”.

Reportagem publicada na edição 76, lançada em abril de 2020

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).