L’Oréal aposta no e-commerce no Brasil

Andrea Marques
Andrea Marques

An Verhulst-Santos, da CEO L’Oréal Brasil

Capilaridade é um termo usado em negócios para se referir a uma ampla presença de mercado – e esse é um dos trunfos da L’Oréal, gigante da área da beleza que aposta em seu vasto portfólio e na inovação para atrair brasileiros de todos os perfis e faixas de renda. Presente no Brasil desde 1959, a empresa tem 19 marcas distribuídas por uma extensa rede que inclui perfumarias, supermercados, salões, quiosques e e-commerce. As divisões de grande público, luxo, cosmética ativa e produtos profissionais incluem desde marcas premium como Lancôme e Redken, que registram crescimento de dois dígitos, até marcas locais como Colorama e Niely.

Um dos seis hubs globais de pesquisa e inovação da empresa é baseado no Rio de Janeiro. Os produtos criados no centro são um elemento crucial não só da operação brasileira, mas do mercado global, segundo a belga An Verhulst-Santos, que assumiu como presidente da empresa no Brasil em 2017. “No que diz respeito à beleza, as mulheres brasileiras estão entre as mais exigentes do mundo. Se conseguirmos satisfazer suas necessidades, conseguiremos satisfazer qualquer consumidor do planeta”, ressalta.

LEIA MAIS: Brasil é o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo

“Essa importância da beleza para as brasileiras e a diversidade étnica e cultural do país fazem com que o Brasil seja um laboratório a céu aberto e desempenhe um papel importante no mercado de cosméticos”, acrescenta a executiva. Segundo An, a meta do grupo é ter 20% das vendas no Brasil provenientes do e-commerce, com ações como parcerias com marketplaces do naipe de Amazon e Mercado Livre.

“No que diz respeito à beleza, as mulheres brasileiras estão entre as mais exigentes do mundo,” diz An Verhulst-Santos

Exemplos de esforços da L’Oréal em inovação no Brasil incluem um programa lançado no início do ano em parceria com a Fábrica de Startups. Em 2019, a marca inaugurou um laboratório de pele humana reconstruída. Em outra iniciativa recente, a Episkin, empresa do grupo, desenvolveu métodos alternativos a testes em animais na avaliação de produtos.

O programa de sustentabilidade da empresa, o Sharing Beauty With All, é outra área nevrálgica para a L’Oréal, que permite que a gigante de beleza contribua com 14 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. No Brasil, o programa tem três áreas de foco: combater as mudanças climáticas, transformar a cadeia de valor e promover o protagonismo social.

Segundo a executiva, as escolas de capacitação da empresa formaram mais de 1.100 profissionais para a indústria da beleza – 60% deles se empregam em algum salão ou abrem o próprio. Além disso, um trabalho educacional sobre prevenção do câncer de pele beneficiou mais de 41 mil brasileiros em situação de extrema vulnerabilidade.

A líder da L’Oréal no Brasil diz se orgulhar do trabalho feito em diversidade. Segundo ela, mulheres representam 63% da força de trabalho; nos cargos de liderança, 55%. Outro avanço recente é o posicionamento no nível Move da certificação global de equilíbrio de gênero Economic Dividends for Gender Equality (Edge), o segundo de três níveis. “Para mim, é um orgulho ser a primeira empresa do setor de beleza brasileiro, e a segunda de seis empresas certificadas no país, a ter esse reconhecimento.”

Reportagem publicada na edição 76, lançada em abril de 2020

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).