Google não planeja expandir parceria com Fiat Chrysler em carros autônomos

Empresa revelou, no dia em que grupo cobrou rapidez em regulação para veículos sem motoristas nos EUA, que ainda negocia com outros potenciais parceiros

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images

Getty Images

Acessibilidade


O Google não planeja expandir sua parceria com a Fiat Chrysler para criar um carro com direção autônoma, disse o chefe do programa na Alphabet nesta quinta-feira (19), afirmando que a empresa ainda negocia com outros potenciais parceiros.

No início do mês, o Google e a Fiat Chrysler concordaram em trabalhar juntos para montar uma frota de 100 minivans auto-dirigíveis no acordo mais avançado entre o Vale do Silício e uma montadora tradicional.

LEIA MAIS: BMW lança projeto de carro elétrico autônomo para 2021

O Google afirmou que não estava compartilhando tecnologia proprietária do veículo com a Fiat Chrysler e que os veículos não seriam oferecidos para venda.

Grupo cobra rapidez em regulação para carros autônomos nos EUA

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Um grupo que busca a redução da dependência dos Estados Unidos sobre petróleo estrangeiro pediu nesta quinta-feira para parlamentares do país removerem obstáculos regulatórios para acelerar a adoção de carros autônomos no país.

O influente grupo Securing America’s Future Energy (Safe) divulgou relatório que busca comercialização ampla de carros autônomos “uma vez que eles são tão seguros quanto os carros de hoje”. O grupo tem como líderes de seu conselho o presidente da empresa de transporte de encomendas FedEx, Frederick Smith, e o ex-comandante dos fuzileiros navais dos EUA James Conway.

VEJA TAMBÉM: Como será o futuro dos carros autônomos no mundo

O Safe tem incentivado parlamentares dos EUA desde 2006 para tomarem medidas que melhorem os padrões de eficiência de consumo de combustível nos EUA, ampliem a produção de energia do país e encoragem veículos que usem combustíveis alternativos. O objetivo é reduzir o consumo de petróleo pela metade até 2040.

O grupo também pede por projetos-piloto para teste de caminhões autônomos de entrega de produtos.

E MAIS: Tesla quer produzir carro que metade da população possa comprar

O relatório do grupo foi divulgado durante evento que incluiu o presidente do programa de veículos autônomos do Google, John Krafcik.

(Por David Shepardson e David Shepardson)

Compartilhe esta publicação: