8 dicas para otimizar sua busca de emprego online

Getty Images
Getty Images

Mas, apesar de não ser muito consolo, saiba que procurar empregos online é muito difícil

Se você está procurando um novo emprego e não recebeu nenhum retorno dos aplicativos online, você não está sozinho.

Acordar com caixa de e-mail vazia após enviar inúmeros currículos online pode ser frustrante e prejudicar ainda mais seus esforços de busca de emprego. Mas, apesar de não ser muito consolo, saiba que a culpa pode não ser sua. Infelizmente, em uma pesquisa online, as probabilidades estão contra você. Veja algumas estatísticas que você precisa ter em mente:

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Um anúncio de emprego online recebe cerca de 250 currículos em média (marcas famosas como o Google recebem até 3 milhões por ano). Dessas 250 solicitações, cerca de 2% são chamadas para entrevistas de acordo com a Workopolis (plataforma canadense especializado em busca de emprego online). Apenas 0,2% das pessoas são contratadas pelo Google e, geralmente, apenas com referência interna.

98% das empresas da lista Fortune 500 usam o ATS (aplicativos de software de sistema de rastreamento de candidatos), que de acordo com a Jobscan (uma plataforma que facilita a procura empregos), frequentemente elimina 75% de currículos antes que eles atinjam qualquer recrutador, às vezes, até por razões irrelevantes, como a formatação do arquivo.

Um estudo descobriu que 50% dos empregos são preenchidos internamente antes mesmo de ir a público. Alguns desses trabalhos são publicados online para atender aos requisitos legais, mas um candidato externo tem poucas chances de conseguir o cargo.

De acordo com a Career Pivot (empresa americana de ajuda de procura de emprego), os indicados têm uma chance de 50% de obter uma entrevista, enquanto para os não indicados, isso cai para apenas 3%. De acordo com a Jobvite, empresa de recrutamento online, 40% das contratações provêm de uma lista de referência, que representa apenas 7% dos candidatos.

Dados informados pelo Career Sherpa, site americano de ajuda na procura de emprego, mostraram que mais de 60% dos candidatos recomendados por um funcionário atual, foram contratados. Esse número aumentaria para 91% se a indicação fosse de um diretor ou superior.

LEIA MAIS: As 7 características do empreendedor de apps de sucesso

Até 70% das vagas de empregos nunca são publicadas, o que significa que a única maneira de saber sobre elas é por meio de um contato.

Em conjunto, é claro que ter uma rede de contatos possui uma vantagem distinta sobre os aplicativos online. No entanto, estes contatos podem não ser práticos. A construção de um relacionamento leva tempo e, se você estiver em uma situação desesperadora, essa não é uma opção.

Portanto, sua melhor aposta pode ser uma abordagem combinada –gaste seu tempo cultivando uma rede de contatos e aplicando estratégias necessárias em aplicativos de emprego. Veja na galeria de imagens a seguir um passo a passo:

  • 1.Atualize seu LinkedIn

    Esteja você criando novas conexões ou realizando uma pesquisa online, seu perfil do LinkedIn será uma das primeiras coisas que a maioria das pessoas acessar para conhecê-lo. Garanta que você tem uma foto profissional, que em sua seção “Sobre” esteja seus pontos fortes e bons resultados, e que seu perfil esteja alinhado com marcas de seus objetivos de carreira. Isso não apenas comunicará claramente aos outros o valor que você oferece ao mercado, mas também poderá ajudar recrutadores e outras pessoas que desejam encontrar você.

    Aproveite e limpe suas mídias sociais, removendo conteúdo questionável que pode fazer com que o empregador pense duas vezes antes de contratá-lo.

    Getty Images
  • 2. Crie conexões no LinkedIn

    Uma das vantagens mais negligenciadas na criação de uma boa lista de contatos de 1º nível no LinkedIn, é como isso aumenta exponencialmente suas conexões com contatos de 2º nível. Geralmente, são esses contatos de segundo nível que levam a oportunidades de emprego. Percorra suas mensagens de texto ou e-mails para encontrar pessoas com as quais você ainda não se conectou no LinkedIn. Considere os contatos inativos (ex-colegas, antigos vizinhos, amigos da faculdade etc.) com os quais você perdeu contato ao longo dos anos –e envie uma mensagem personalizada pedindo para se reconectar. Não desconte as pessoas que você vê algumas vezes por ano, como seu dentista, contador ou barbeiro. Você nunca sabe quem pode estar na rede de alguém.

    Entre em contato com recrutadores que trabalham para empresas em sua lista de destinos, com uma breve mensagem personalizada sobre o que você valoriza na organização deles.

    iStock
  • 3. Crie uma lista de empresas-alvo

    Mesmo que esteja se inscrevendo online, você não quer ser apenas reagir ao que aparece em sua pesquisa. É útil ser proativo, criando uma lista de empresas nas quais você está interessado e aprendendo sobre suas atualizações de mercado, pesquisando em seus contatos (1º e 2º nível) quem você conhece (ou deseja conhecer) e assistindo seu progresso para antecipar as necessidades de contratação. Siga suas principais empresas nas mídias sociais e crie alertas do Google para se manter atualizado sem perder muito tempo.

    O livro “The 2-Hour Job Search” (ou Pesquisa de emprego de 2 horas, em tradução livre), de Steve Dalton, tem um processo metódico e detalhado para criar uma lista robusta de empresas-alvo.

    Getty Images
  • 4. Faça acompanhamento

    Adotar uma abordagem completa para se candidatar online significará muita espera e pouco progresso. Identifique as funções recentes às quais você se inscreveu e comece a pesquisar nas conexões de 1º e 2º nível. Em seguida, solicite conselhos ou informações sobre como se tornar um candidato mais competitivo. Além disso, não hesite em enviar uma mensagem diplomática breve ao recrutador (ou gerente de contratação, se você puder encontrar essas informações no LinkedIn, o que geralmente é possível), para que eles saibam que você se candidatou ao emprego e está interessado em compartilhar mais sobre seu histórico. Isso pode levá-los a revisar o seu perfil do LinkedIn (que agora é uma representação fantástica do valor que você oferece ao setor deles) e até potencialmente tirar seu currículo do abismo dos aplicativos de ATS. No jogo de contratação online, você precisa de todas as vantagens, para não ser um espectador passivo.

    Se você encontrar uma conexão disposta a orientar sua candidatura diretamente ao gerente de contratação ou RH, pergunte. Pode até haver um bônus de indicação de funcionário para esta pessoa se você for contratado.

    Getty Images
  • 5. Escreva para a máquina

    Embora você possa se sentir tentado a usar a formatação criativa para destacar seu currículo, o aplicativo online não é o lugar para demonstrar sua habilidade com fontes especializadas e modelos sofisticados. Como a maioria das empresas usa os sistemas ATS, você estará à mercê da tecnologia. Existem várias plataformas ATS diferentes, sendo algumas das mais populares Taleo, iCIMS, Jobvite e Workday. Preste atenção ao tipo de arquivo necessário (por exemplo, se solicitarem um pdf, não envie um documento do Word) e use palavras-chave na descrição da tarefa.

    Confirme se seu currículo foi recebido. Embora seja melhor ter um contato interno na contratação, enviar um e-mail ao recrutador (o LinkedIn também é aceitável, embora eu não recomende um convite real neste estágio inicial) para verificar educadamente se seu currículo foi recebido é aceitável, e pode ser a diferença entre obter uma entrevista ou receber uma rejeição gerada automaticamente.

    Getty Images
  • 6. Inclua uma carta de apresentação convincente

    Você pode ter visto críticas mistas sobre esta etapa. Um ponto de dados popular que circula é que apenas 7% das cartas de apresentação são lidas, mas se lembre de que isso é a partir dos 25% que passam pelo ATS. Além disso, vou contar um segredo: sua carta de apresentação só será lida se o seu currículo for aprovado, por isso, é outro motivo pelo qual a estatística pode ser tão baixa. Depois de determinar que você tem as habilidades necessárias para passar para a próxima rodada, um recrutador desejará aprender um pouco mais sobre o motivo de sua candidatura. A carta serve a esse propósito, e um texto personalizado aumenta as suas chances de conseguir uma entrevista.

    Se você está se candidatando a tantas funções que não tem tempo para adaptar a carta, pode ser melhor reavaliar sua abordagem. Você pode estar exagerando no número de empresas para se candidatar, e esta é uma estratégia óbvia (e não atraente) para os recrutadores e uma perda de tempo para você.

    Getty Images
  • 7. Tenha conversas diferentes com as pessoas que você já conhece

    Construir novos relacionamentos leva tempo, mas você já tem grupos de família, de amigos e de outras pessoas na comunidade. E eles provavelmente ficarão felizes em ajudá-lo a ter sucesso em sua carreira. Seja específico sobre o que procura, incluindo nomes de empresas ou pessoas na rede em que você gostaria de ser apresentado. As pessoas mais próximas a você provavelmente perguntam regularmente sobre sua pesquisa. Portanto, não mude de assunto ou evite esta conversa. Prepare-se ativamente para esta pergunta com uma pergunta. Embora seus amigos não tenham vários empregos para oferecer, eles têm conexões que você não conhece.

    Junte um conselho de administração pessoal para ajudar na sua pesquisa. Talvez você tenha de 3 a 4 amigos ou familiares abertos a ajudar e capazes de serem objetivos. Eles podem fornecer feedback sobre seu currículo, fazer parceria com você em entrevistas simuladas e ficar de olho nas oportunidades em potencial. A posse média de uma função é de cerca de 4,2 anos. Portanto, você pode oferecer o mesmo favor quando for a sua vez de fazer uma mudança de direção.

    Getty Images
  • 8. Use seu tempo com sabedoria

    Você provavelmente já ouviu falar: “Encontrar um novo emprego é um trabalho em de período integral”, e isso pode ser bastante verdadeiro. Como todos temos uma quantidade finita de tempo e energia, divida seus recursos com sabedoria gastando mais tempo construindo suas conexões e relacionamentos do que se candidatando online. Você não apenas aumentará suas chances de encontrar empregos quando conseguir encontrar referências, mas também abrirá suas opções para oportunidades que talvez nunca cheguem à internet.

    Dedique um pouco do seu tempo para ajudar outras pessoas, seja na busca de emprego ou em outros desafios. A generosidade é uma das melhores maneiras de construir relacionamentos.

    Getty Images

1.Atualize seu LinkedIn

Esteja você criando novas conexões ou realizando uma pesquisa online, seu perfil do LinkedIn será uma das primeiras coisas que a maioria das pessoas acessar para conhecê-lo. Garanta que você tem uma foto profissional, que em sua seção “Sobre” esteja seus pontos fortes e bons resultados, e que seu perfil esteja alinhado com marcas de seus objetivos de carreira. Isso não apenas comunicará claramente aos outros o valor que você oferece ao mercado, mas também poderá ajudar recrutadores e outras pessoas que desejam encontrar você.

Aproveite e limpe suas mídias sociais, removendo conteúdo questionável que pode fazer com que o empregador pense duas vezes antes de contratá-lo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).