4 estratégias para negociar o salário mesmo durante a crise

Confrontar o recrutador é uma dica, pois a primeira oferta é sempre mais baixa.

Robin Ryan
Compartilhe esta publicação:
kate_sept 2004/ Getty Images
kate_sept 2004/ Getty Images

Confrontar o recrutador é uma dica, pois a primeira oferta é sempre mais baixa

Acessibilidade


“Ajude-me a conseguir o emprego dos meus sonhos”, disse Ellen, 55 anos, gerente de projetos de TI, que pediu orientação para uma entrevista. Ela disse: “Algumas semanas atrás, me encontrei com um vice-presidente para uma entrevista de um emprego online. Eu estraguei tudo. Eles contrataram outra pessoa. Devo estar cometendo alguns erros. E esta outra oportunidade que veio é ideal para mim. Ótima empresa, é realmente um trabalho dos sonhos. Como posso melhorar?”

Essa conversa nos levou a trabalhar juntas, interpretar e aperfeiçoar suas respostas. Descobri que ela não estava se promovendo o suficiente, então, trabalhamos em aumentar sua confiança. Ellen lutou para ter suas respostas mais firmes. As questões salariais, os pontos fracos e fortes, tudo precisa ser aperfeiçoado. Depois de nossa sessão, ela foi para a entrevista e me escreveu: “Me saí muito bem na entrevista e me ofereceram o cargo. Por favor, agora ajude-me a negociar um salário mais alto!”

LEIA MAIS: 3 dicas para conseguir estabelecer limites no trabalho

O fato é que as mulheres não são boas em negociações salariais. A maioria nunca nem tenta. De acordo com o relatório 2020 Gender Pay Gap da PayScale.com, site de pesquisa salarial, as mulheres nos Estados Unidos ganham apenas US$ 0,81 para cada dólar que um homem ganha. E, em um contexto 2020, as disparidades salariais entre homens e mulheres implicam em uma perda ainda maior de salários em rendimentos vitalícios, pois calculando aumentos e baixas salariais –presumidos dados ao longo de uma carreira de 40 anos– relata-se que as mulheres podem perder US$ 900 mil em média ao longo da vida.

Existem várias razões pelas quais as mulheres ainda ganham menos. Um dos principais motivos é que os homens estão mais inclinados a pedir aos empregadores que lhes paguem mais, e as mulheres aceitam a primeira oferta. Mesmo durante a pandemia, vejo clientes homens rejeitando a primeira oferta, que quase sempre é baixa, e pedindo uma remuneração maior com base na experiência e nas habilidades que trazem para o trabalho.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Estudando o caso de Ellen:

Ellen seguiu meu conselho e não revelou seu salário antigo ao recrutador ou a qualquer outra pessoa da equipe de contratação. Isso rendeu a ela uma oferta inicial anual de seis dígitos. Ela então confrontou o entrevistador e declarou que achava que a oferta salarial iria ser maior. Ela mencionou a experiência e as habilidades necessárias que traria para o trabalho. O empregador retornou e ofereceu US$ 20 mil a mais.

Ela também teve um bônus de contratação de US$ 5.000. Achei que era muito baixo para a função dela e estava confiante de que ela poderia conseguir mais. A questão era: quanto? Aconselhei Ellen a sondar o recrutador, que afirmou que talvez tivesse espaço para aumentar o bônus. Orientei Ellen a falar então com o gerente de contratação. Ela disse ao gerente que gostaria de aceitar o emprego se eles conseguissem resolver alguma coisa. Quando questionada sobre o que era isso, Ellen afirmou que achava que o bônus de assinatura era muito baixo. O gerente disse: “Deixe-me ver o que podemos fazer”. O empregador voltou e aumentou a oferta para US$ 20 mil. Ellen aceitou o emprego e garantiu um total de US$ 40 mil a mais em sua renda por seguir esses passos.

LEIA MAIS: 7 dicas para ter sucesso em um trabalho que você nunca fez antes

Veja na galeria a seguir as 4 estratégias para conseguir o salário desejado:

  • Saiba o valor de suas habilidades

    Pesquise quanto você deve receber em média por seus anos de experiência, educação, certificações e qualquer treinamento especializado que possui.

    katleho Seisa/ Getty Images
  • Foque nas necessidades do empregador

    Comece sua conversa com o gerente de contratação se promovendo com confiança. Reafirme os motivos pelos quais eles necessitam de você, as habilidades que você trará e como resolverá os problemas deles. Mencione seus principais pontos fortes e experiências, além de enfatizar a sua rapidez na produtividade. Em outras palavras, dê a eles motivos para eles pagarem mais. Depois de reafirmar seu interesse, comece a negociação dizendo: “Estou interessado na posição. Fiquei um pouco desapontado porque a oferta foi menor do que eu esperava, especialmente porque tenho essa experiência ou essas habilidades (fale algo específico aqui) e vocês terão um retorno rápido de minha parte!”

    kate_sept 2004/ Getty Images
  • Seja específico quando for importante

    O empregador pode perguntar quanto é o seu salário desejado. Então, esteja ciente de quanto você quer e diga. Mas, esteja disposto a esperar. O gerente de contratação pode dizer que precisa falar com o superior sobre esse dinheiro adicional. Se eles quiserem você, serão seus defensores e quase sempre voltarão com mais do que ofereceram originalmente. Paciência aqui compensa.

    EMS FORSTER PRODUCTIONS/ Getty Images
  • Obtenha o contrato por escrito

    Este documento deve descrever todos os termos do sua contratação, abrangendo salário, bônus, habilidades requeridas, data de início, benefícios e, especialmente, deve observar qualquer coisa diferente das políticas padrão da empresa. Muitas promessas são feitas e rapidamente esquecidas assim que você começa o trabalho. Obtenha os detalhes por escrito, para que não haja mal-entendidos depois. As pessoas que não conseguiram fazer isso sofreram quando a prometida semana extra de férias for “esquecida” assim que começarem. Um acordo por escrito protege o que você negociou. Sempre aconselho meus clientes que é sensato, e necessário, obtê-lo.

    POJCHEEWIN YAPRASERT PHOTOGRAPHY/ Getty Images

Saiba o valor de suas habilidades

Pesquise quanto você deve receber em média por seus anos de experiência, educação, certificações e qualquer treinamento especializado que possui.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: