7 dicas para passar menos tempo no celular

Getty Images
A separação provavelmente reforçará o fato de que há muitas outras coisas mais interessantes a fazer do que olhar para o seu telefone

Passamos muito tempo com o nosso celular, muito mais do que o necessário. A maioria das pessoas está no elevador, no carro, no escritório, no metrô, na fila, na rua, em um jantar com amigos ou na sala com a família, mas sempre com a atenção em seus telefone. Quando surge um momento de tédio, pegamos nosso aparelho para nos distrairmos. O resultado disso é ficarmos menos produtivos, além de nos relacionarmos menos com as pessoas e com o que há ao nosso redor.

LEIA MAIS: Saiba usar o seu celular para criar bons hábitos

A jornalista científica (e viciada em tecnologia) Catherine Price decidiu pesquisar mais sobre o assunto com base em seu vício e escreveu o livro “Celular: como dar um tempo”. A primeira metade da obra explica os danos provocados pelo seu uso extensivo, explicando desde como eles são projetados para o vício até como eles prejudicam nossos cérebros, aumentam o estresse e nos privam de uma boa noite de sono. A segunda metade é o guia da autora de 30 dias para dar um tempo na relação com o celular, o que não significa o jogar na água, mas ter uma relação melhor com ele.

Veja, na galeria de fotos abaixo, 7 dicas para passar menos tempo no celular:

  • 1. Supere a vontade de mexer no celular

    Segundo Catherine, uma técnica que funciona muito bem para fumantes também se aplica a pessoas que tentam regular seu uso de celular: supere a vontade de mexer no aparelho. Se reconhecermos nosso desconforto e nos afastarmos disso, o desejo desaparecerá por conta própria. A jornalista recomenda, em vez de lutar contra isso ou se culpar quando utilizar o telefone, parar, respirar fundo e observar o que está fazendo. Não se renda ou tente se distrair, simplesmente reconheça e “veja o que acontece”.

  • 2. Inclua os outros

    É provável que, quando você mencionar que quer olhar menos para o seu celular, seus amigos ou familiares respondam: “Eu também”. Convide-os a experimentar isso com você! Assim como ao iniciar uma dieta ou começar um novo treino, ter um amigo para o acompanhar torna o processo mais divertido e menos solitário.

  • 3. Avalie seu relacionamento atual com o telefone

    A única maneira de saber o tamanho do seu problema é se debruçar sobre ele, o que significa que você precisa saber quanto tempo passa no telefone. O que é medido é gerenciado. Catherine diz que o primeiro passo é baixar um aplicativo para o ajudar a medir seu uso, como o Moment for iPhone, ou OFFTIME, para Android. Assim, você terá dados concretos sobre esse período, sobre os aplicativos que acessa mais e quantas vezes por dia mexe no celular.

    A escritora também recomenda considerar o tipo de relacionamento que você deseja ter com o aparelho. É difícil progredir e colocar restrições quando não há metas específicas. Você quer usá-lo somente quando estiver no trabalho? Ou apenas quando for necessário? Mexer no celular é algo que o deixa feliz, mas você quer limitar esse uso para menos horas por dia? Considere isso, caso contrário, você estará sem direção, o que pode o levar ao fracasso.

  • 4. Defina limites

    Catherine recomenda desativar todas as notificações, até as de e-mail. Se você está à espera de uma ligação ou e-mail, coloque-os em uma lista VIP para que seja notificado apenas sobre isso. Ela também sugere a criação de zonas sem telefone, como na mesa de jantar e no quarto, além de estipular limites de horário. A jornalista defende a exclusão de redes sociais e o uso delas apenas no computador. Se você não conseguir deletar, baixe um aplicativo que bloqueia outros apps. Escreva regras e defina limites que ditam o tipo de relacionamento que você deseja com o seu celular. Use-as como ferramenta para o preparar para o sucesso.

  • 5. Pare de checar o celular a todo momento

    Você já mexeu no celular enquanto almoçava com a família ou amigos? Já mandou mensagem no meio de uma conversa? Checou as redes sociais durante uma festa?

    Somos todos culpados disso em algum momento. Tornou-se tão comum e tão universalmente aceito que algumas pessoas nem percebem, mas isso não muda o fato de que esse comportamento nos separa do nosso entorno e de que não estamos totalmente presentes com as pessoas que estão bem na nossa frente. Uma boa regra é deixar seu telefone de lado durante refeições e festas para que você engaje com sua família e amigos. Apenas o use se for complementar a conversa, como para mostrar fotos ou verificar a agenda para um próximo encontro.

  • 6. Tente uma separação experimental

    Os passos, exercícios e as regras no guia de Catherine levam a uma separação experimental nos dias 20 e 21. O objetivo é testar sua disciplina e os limites que você definiu até esse ponto, mas, acima de tudo, significa permitir que coisas boas aconteçam em sua vida. É um período de 24 horas para fazer caminhadas, jantar no restaurante local que você deseja experimentar, ler um jornal ou um livro. Essa separação provavelmente reforçará o fato de que há muitas outras coisas mais interessantes a fazer do que olhar para o seu telefone.

  • 7. Encontre outras coisas para fazer

    Catherine escreve que, com o tempo que você normalmente preenche jogando, em redes sociais ou olhando para o celular sem pensar pode ser usado para um hobby ou para tentar algo novo: você pode caminhar, ir a um museu, sediar uma noite de jogos, desenhar, ir a um encontro, cozinhar, fazer palavras cruzadas em um café, inscrever-se em uma aula, passar mais tempo com seus amigos e animais de estimação etc. Todas essas atividades são saudáveis e produtivas e acabarão por o tornar uma pessoa mais feliz e saudável.

1. Supere a vontade de mexer no celular

Segundo Catherine, uma técnica que funciona muito bem para fumantes também se aplica a pessoas que tentam regular seu uso de celular: supere a vontade de mexer no aparelho. Se reconhecermos nosso desconforto e nos afastarmos disso, o desejo desaparecerá por conta própria. A jornalista recomenda, em vez de lutar contra isso ou se culpar quando utilizar o telefone, parar, respirar fundo e observar o que está fazendo. Não se renda ou tente se distrair, simplesmente reconheça e “veja o que acontece”.

 


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).