Como a inteligência artificial está transformando a indústria de filmes adultos

Getty Images
Tecnologia pode melhorar a recomendação de vídeos e ajudar na criação de produtos

Resumo:

  • “Pornhub”, “xHamster” e o “YouPorn” usam a tecnologia para aperfeiçoar os vídeos sugeridos para seus usuários;
  • O uso da IA elaborou um simulador de sexo oral com base em vídeos eróticos;
  • O Facebook agora usa a inteligência artificial para impedir a divulgação de imagens íntimas sem consentimento.

Você certamente já ouviu falar em como a inteligência artificial (IA) está transformando e impactando muitos setores, de serviços financeiros aos de saúde. Mas, provavelmente, não se deu conta ainda de como essa tecnologia está mudando também o entretenimento adulto e a indústria pornô. Assim como em outros setores, as mudanças trazidas pela IA podem ajudar a melhorar a experiência do usuário e os negócios, mas também existem maneiras perturbadoras de usá-la.

LEIA MAIS: Google e Facebook monitoram a atividade de usuários em sites pornográficos

A exemplo da Netflix, que pode recomendar filmes com base no que você assistiu anteriormente, ou da Amazon, que sugere produtos com base no seu histórico de navegação e compras, a IA também pode ajudar a etiquetar filmes eróticos. Pornhub”, “xHamster” eYouPorn – todos eles estão trabalhando no aperfeiçoamento de seus sistemas de inteligência artificial para melhorar a recomendação de filmes para os usuários de suas plataformas.

Os algoritmos de inteligência artificial checam milhares de filmes e imagens de atores para taguear as obras nas quais esses artistas atuam. Os usuários do site estão dando a oportunidade de fornecer feedback ao algoritmo para indicar se a marcação foi precisa. Esse feedback do usuário permite que a tecnologia melhore ao longo do tempo.

Depois que o sistema classificar os filmes por ator, atriz, gênero e tema, outras características – como posições, locais, cor do cabelo etc – serão incorporadas para direcionar mais o público e atrair de forma mais eficiente seu interesse.

Tecnologia ajuda a desenvolver brinquedo erótico

Outra maneira de usar a IA na indústria do entretenimento adulto foi sua aplicação na criação de um simulador de sexo oral. A VIECI foi a empresa que criou a Autoblow AI para oferecer aos homens um brinquedo sexual de alta tecnologia, já que tinha a percepção de que a indústria havia se concentrado mais em dar às mulheres brinquedos sexuais de alta qualidade. Ela afirma que o Autoblow AI é o “primeiro dispositivo que usa inteligência artificial para replicar técnicas sexuais humanas”.

Para conseguir isso, os cientistas de dados usaram seis dias (8.333 minutos) de imagens pornográficas para treinar o algoritmo de IA sobre como replicar o sexo oral. Eles rodaram o vídeo a uma velocidade de 50% para permitir à máquina 30 capturas de tela por segundo e toda a documentação da boca. O trabalho descobriu os 16 “locais mais usados pela boca” nos filmes. Segundo a empresa, o resultado do trabalho da IA ​​é uma experiência mais próxima da realidade possível.

Falsa pornografia

Apesar dos benefícios para o setor, é preciso estar ciente de que existem várias maneiras de aplicar a inteligência artificial no entretenimento adulto para deturpar ou tirar proveito das semelhanças de indivíduos que não consentiram no uso de sua imagem.

Exemplo disso é que, quando surgiu um vídeo pornô que aplicava o rosto da atriz Gal Gadot (a intérprete da Mulher Maravilha) a um outro corpo, ficou claro como é fácil que as pessoas – e suas semelhanças físicas – sejam usadas sem permissão e em algo que nunca fizeram antes. Embora, neste caso, não fosse difícil identificar os erros e a cópia, há sempre aqueles que acreditam. Isso mostra quão fácil e quão perto estamos de realmente fazer as pessoas criarem vídeos muito realistas que podem prejudicar reputações e carreiras.

Este é um exemplo típico de deepfakes: vídeos pornográficos que mostram rostos de celebridades inseridos por IA. Scarlett Johansson, Taylor Swift e Maisie Williams também já foram alvos deste tipo de ação. No momento, as celebridades são as mais vulneráveis ​​a ataques assim, pois há muitas imagens e vídeos disponíveis publicamente que os algoritmos de inteligência artificial podem usar para aprender e criar imagens mais realistas.

Outro programador criou um aplicativo chamado DeepNude que usava a IA para alterar imagens de mulheres totalmente vestidas – e deixá-las sem roupa. O software causou tanta indignação que o programador anônimo excluiu o app alguns dias após o lançamento. Ele era gratuito, fácil de usar e colocava todas as mulheres em risco de serem alvo da ferramenta.

Facebook agora é um aliado

O DeepNude e ferramentas semelhantes mostram como é fácil criar e colocar para circular a “pornografia da vingança”, ou seja, a divulgação de vídeos e imagens íntimas para prejudicar alguém. Como resposta a esse tipo de ação, o Facebook está usando a inteligência artificial para encontrar e sinalizar imagens íntimas compartilhadas sem consenso.

Este é um avanço significativo da rede social, que anteriormente exigia que as vítimas de pornografia de vingança denunciassem imagens inapropriadas ou enviassem suas fotos íntimas à empresa antes que os moderadores de conteúdo tomassem qualquer medida para removê-las. A IA pode encontrar e sinalizar os arquivos e depois encaminhá-las para humanos, para revisão posterior. Esse recurso será usado tanto no Facebook quanto no Instagram e foi treinada para identificar imagens “quase nuas” (ou seja, de lingerie) e textos depreciativos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).