O que afinal significa investir

Getty Images
Já imaginou ganhar dinheiro sem precisar fazer nada?

Dar um novo destino aos seus recursos de forma que se multipliquem e banquem suas escolhas no futuro quando suas fontes de receita diminuem ou cessam: isso é investir.

Mas qual melhor forma de tomar essa atitude? A resposta é comprar produtos financeiros rentáveis para que os juros compostos exerçam poder sobre suas finanças e cuidem de você.

Quem investiu R$ 10.000 há dois anos na poupança tem em janeiro deste ano R$ 10.907,74. Ou seja, uma valorização de 9,074%. Mas a poupança, hoje, está longe de ser considerada investimento. Primeiro, porque sua rentabilidade não consegue acompanhar o aumento de preços: a inflação. Segundo, porque há produtos muito melhores e ainda mais seguros, como o Tesouro Selic, um título público, por exemplo. Os mesmos R$ 10.000 emprestados ao governo renderiam a você no mesmo período R$ 11.277,18, uma valorização de 12,77%.

E como fazer para multiplicar seu patrimônio? Você deve utilizar a estratégia da diversificação: comprar diferentes produtos com disciplina e frequência mensal.

Uma boa carteira de investimentos deve ser composta por renda fixa e renda variável. Os dois produtos citados acima (poupança e Tesouro Selic) são estáveis. Os corajosos que arriscaram e colocaram os mesmos R$ 10.000 em ações como as do Magazine Luíza, por exemplo, viram seu patrimônio crescer 403,19% no mesmo período. Têm hoje na conta R$ 50.319.

Mas você pode achar que é muito arriscado investir em ações e talvez prefira produtos menos instáveis, mas que possam dar ganhos melhores comparados à renda fixa. Quem pensou dessa forma e comprou fundos imobiliários importantes, por exemplo, está feliz. O Mall11 (fundo de shopping center que você compra como se fosse uma ação) subiu 48,35%. Aqui, seu patrimônio chegaria à casa dos R$14.843.

Evidentemente, que essas não são indicações de compra, até porque ganhos passados não são promessas de ganhos futuros. Mas, ao diversificar seus investimentos de acordo com seu perfil de investidor, levando em consideração que nosso país vive em um novo momento, com os juros nos patamares mais baixos da história, ainda que seu perfil seja conservador, avalie a compra de produtos de renda variável em sua carteira de investimentos.

Portanto, a chave para diversificar seu portfólio é escolher investimentos que não sejam altamente correlacionados entre si. Isso significa que as coisas que afetam um investimento não afetarão os outros da mesma maneira. Por exemplo, ações e títulos frequentemente (embora nem sempre) se movem em direções opostas: à medida que as ações sobem, os títulos caem e vice-versa. Isso ocorre porque, quando os investidores ficam nervosos com o mercado de ações, eles geralmente recorrem aos títulos.

Entretanto, a regra número um é começar. Já dizia o filósofo Platão: “o começo é a parte mais difícil do trabalho”.
Aproveite seu início de ano, coloque suas metas em prática e bons investimentos.

Francine Mendes é educadora financeira para mulheres, economista pela Universidade Federal de Santa Catarina, com mestrado em psicanálise do consumo pela Universidade Kennedy. Apresentadora do canal Mary Poupe, no YouTube, e comunicadora na RiCTV Record.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).