Ibovespa futuro avança em sessão de recuperação com exterior

Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Às 09:16, o contrato do Ibovespa para abril mostrava alta de 9,62%, a 79.060 pontos

O contrato mais curto do Ibovespa avançava cerca de 9,5% nos primeiros negócios de hoje (13), em linha com a recuperação de praças acionárias exterior, sinalizando uma trégua após fortes perdas na semana, na esteira do clima de pânico nos mercados globais com a pandemia de coronavírus.

Às 09:16, o contrato do Ibovespa para abril mostrava alta de 9,62%, a 79.060 pontos, após ter fechado em queda de 15%, a 72.125 pontos, na véspera, no limite de baixa.

LEIA MAIS: Pânico com pandemia faz índice cair 15% em sessão com dois circuit breakers

Na visão da equipe da Guide Investimentos, a alta deve ser recebida como mais um dia de ajuste, diante da ausência de mudanças relevantes no quadro de riscos para as economias e os mercados financeiros mundiais, conforme nota a clientes

“Investidores continuarão avaliando o novo nível de preços – agora muito mais atrativos – contra os riscos latentes da conjuntura atual”, destacou, acrescentando, porém, que ainda espera extrema volatilidade em razão da manutenção da incerteza sobre os impactos do Covid-19 e da guerra de preços do petróleo.

Na véspera, o Ibovespa à vista caiu 15,15%, a 72.269,67 pontos, na pior performance desde 10 setembro de 1998, ano marcado pela crise financeira russa. O tombo só não foi maior porque o Federal Reserve de Nova York anunciou que irá injetar US$ 1,5 trilhão no sistema financeiro.

Na semana, até ontem (12), o Ibovespa à vista acumulava queda de quase 26%, ampliando as perdas em 2020 para mais de 37%.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).