Remdesivir da Gilead deve se tornar 1º tratamento para Covid-19 na Europa

CHMP recomendou o uso em adultos e adolescentes a partir de 12 anos com pneumonia que precisem de oxigênio adicional.

Blog da Redação
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

A agência de saúde europeia recomendou a aprovação condicional do tratamento antiviral remdesivir da Gilead Sciences Inc para o Covid-19

Acessibilidade


A agência reguladora de saúde europeia recomendou a aprovação condicional do tratamento antiviral remdesivir da Gilead Sciences Inc para pacientes de Covid-19, o que faz dele o primeiro tratamento prestes a receber aval no continente.

A Agência Europeia de Remédios (EMA) disse hoje (25) que seu comitê de medicamentos para humanos (CHMP) recomendou o uso do remdesivir em adultos e adolescentes a partir de 12 anos com pneumonia que precisem de oxigênio adicional.

VEJA TAMBÉM: Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, e fique por dentro de tudo sobre empreendedorismo

O preço do remédio na região é desconhecido. Nos Estados Unidos, pode chegar a US$ 5.080 por tratamento, e a fabricante de genéricos indiana venderá o tratamento por um valor entre US$ 66,13 e US$ 79,35.

O endosso da EMA, que chega poucas semanas após uma avaliação feita às pressas, significa que os médicos podem prescrever o remédio da Gilead, que será batizado de Veklury, na Europa assim que este for aprovado pela Comissão Europeia, que normalmente segue as recomendações do CHMP.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A autorização condicional de comercialização da União Europeia permite que um tratamento seja vendido durante um ano no bloco comercial de 27 nações antes de todos os dados necessários a respeito de sua eficiência e efeitos colaterais estarem disponíveis. A Gilead tem que apresentar os dados definitivos até dezembro.

A procura pelo remédio disparou depois que se tornou um dos mais cotados na esteira de testes promissores. A Gilead acredita que o suprimento de remdesivir superará os 2 milhões de tratamentos até o final do ano, o dobro de sua meta anterior, e planeja começar a testar uma versão inalada mais fácil de usar – a atual é administrada por via intravenosa.

O remdesivir já foi aprovado para uso emergencial em pacientes gravemente doentes nos EUA, Índia e Coreia do Sul e recebeu aprovação total no Japão. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: