A importância do autocuidado para a saúde da mulher

Atenção aos sinais do corpo e exames de rotina são aliados fundamentais na prevenção e no diagnóstico precoce.

Fernando Maluf
Compartilhe esta publicação:
Jose Luis Pelaez Inc/Getty Images
Jose Luis Pelaez Inc/Getty Images

Acompanhamento médico ajuda a prevenir o câncer e doenças crônicas graves

Acessibilidade


Na Oncologia, o protagonismo na saúde está ligado à prevenção e ao diagnóstico precoce de câncer. Nesta semana em que celebramos o Dia Internacional da Mulher, gostaria de deixar um recado especial para as nossas leitoras e reforçar a importância de que as mulheres cuidem de sua saúde, diariamente.

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), cerca de 298 mil brasileiras vão receber o diagnóstico de câncer em 2022. Entre nossa população feminina, os tumores mais incidentes – sem contar o de pele não melanoma – são os de mama (29,7%), colorretal (intestino e reto – 9,2%), colo do útero (7,4%), pulmão (5,6%) e tireoide (5,4%).

LEIA TAMBÉM: Projeto incentiva busca de novos tratamentos contra o câncer no Brasil

A atenção aos sinais do corpo e os exames de rotina são aliados fundamentais na prevenção e no diagnóstico precoce. A obesidade, por exemplo, figura entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento de pelo menos 11 dos 19 tipos mais frequentes de câncer na população brasileira. Cuidar do peso não é uma questão de estética; os quilos a mais podem trazer consigo doenças crônicas e graves. O mesmo vale para a prática de atividades físicas, que também devem virar rotina, e o abandono do tabagismo, fator de risco grave para diversos tumores.

Separei, abaixo, uma breve lista de orientações básicas para deixar a atenção à saúde em dia:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
  • O Papanicolau, ou exame de colpocitologia oncótica, é indicado a partir do início da vida sexual ou dos 25 anos. A orientação é repetir o exame anualmente. Depois de três resultados negativos, os intervalos podem ser maiores, segundo critério médico;
  • Agende uma consulta para fazer um exame ginecológico geral periódico;
  • Não se esqueça da mamografia a partir dos 40 ou 50 anos (a depender de histórico familiar, fatores de risco e critérios médicos), em alguns casos o ultrassom de mamas pode ser também necessário;
  • Importante garantir a imunização com a vacina contra HPV para meninas e meninos a partir dos 9 aos 14 anos. O ideal, como já falamos aqui recentemente, é tomar o imunizante antes de ter contato com o vírus;
  • A colonoscopia pode ser realizada a partir dos 45 anos, para prevenção e diagnóstico precoce do câncer de intestino;
  • Muita gente não se lembra, mas a visita ao dermatologista deve contar com uma avaliação para avaliar nevos (pintas e manchas), especialmente pessoas com pele mais clara;
  • Lembre-se, também, da avaliação cardiológica periódica e de falar com seu médico sobre exames para verificar a saúde do pulmão, se for fumante.

A adoção de um estilo de vida mais saudável, com uma rotina de exames e acompanhamento médico, pode fazer a diferença nos cuidados da saúde integral da mulher, com grande impacto na prevenção do câncer e de outras doenças crônicas graves.

Fernando Maluf é cofundador do Instituto Vencer o Câncer e professor livre-docente da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Compartilhe esta publicação: