Dólar tem alta após perdas da véspera e com exterior cauteloso

iStock
iStock

Às 10:14, o dólar avançava 0,67%, a R$ 5,1875 na venda

O dólar operava em alta contra o real hoje (24), recuperando parte das perdas acentuadas da véspera (23) em meio ao clima cauteloso nos mercados globais, com temores sobre uma segunda onda de Covid-19.

Às 10:14, o dólar avançava 0,67%, a R$ 5,1875 na venda. Na máxima do dia, moeda norte-americana subiu a R$ 5,1980. O dólar futuro negociado na B3 subia 0,60%, a R$ 5,185.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Depois de um positivo (23) para ativos de risco devido a dados econômicos promissores e sinais de alívio nas relações comerciais entre Estados Unidos e China, os investidores pareciam adotar maior cautela neste pregão, vendendo ações e moedas emergentes.

“Desde a semana passada, existem sinais nítidos de que diversas localidades observaram um aumento nos casos de Covid-19 com a reabertura de diversas economias no hemisfério norte”, explicaram analistas da Infinity Asset em nota.

Temores sobre uma segunda onda do vírus preocupavam os investidores, que têm esperado por uma recuperação rápida após a crise econômica causada pela doença. Colaborando para os medos, o Fundo Monetário Internacional (FMI) piorou sua perspectiva para a contração da economia global em 2020, citando impacto do coronavírus no consumo mais profundo que o esperado.

Segundo a Infinity Asset, os mercados têm trabalhado num “ritmo de ganhos intensos, permeados por breves intervalos de correção”, e esta sessão é um desses intervalos, agora que o aumento de casos de coronavírus voltou para o foco dos investidores.

O movimento do dólar contra o real nesta sessão estava alinhado ao comportamento da moeda norte-americana contra outros pares arriscados, como rand sul africano, peso mexicano, lira turca e dólar australiano. As bolsas de valores europeias e os futuros de Wall Street operavam em queda.

Já no cenário local, os investidores continuam citando as incertezas políticas e econômicas — principalmente após a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, e em meio ao avanço contínuo da pandemia — como um fator de pressão para o real, assim como o atual patamar da taxa Selic em mínima histórica.

VEJA TAMBÉM: Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, e fique por dentro de tudo sobre empreendedorismo

Além disso, o FMI piorou com força sua estimativa para a contração da economia brasileira em 2020 devido aos impactos da pandemia de coronavírus sobre a atividade, mas ao mesmo tempo passou a ver maior crescimento no ano que vem.

Este é o primeiro dia de alta do dólar em 4 pregões. O dólar acumula ganho de cerca de 29% contra o real no ano de 2020.

Na véspera, o dólar spot fechou em queda de 2,26%, a R$ 5,1531 na venda.

O Banco Central ofertará nesta sessão até 12 mil contratos de swap tradicional com vencimento em novembro de 2020 e fevereiro de 2021. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).