Liquidez global ofusca tensão política interna e bolsa sobe 4% na semana

ReutersAmandaPerobelli
ReutersAmandaPerobelli

O volume financeiro nesta sexta-feira totalizou cerca de R$ 38,4 bilhões

A bolsa paulista teve uma sessão volátil hoje (19), com o Ibovespa encerrando em alta e acumulando desempenho semanal positivo, em meio a um ambiente de ampla liquidez global, que continuou prevalecendo sobre tensões políticas e um cenário econômico ainda desafiador no país.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,46%, a 96.572,10 pontos. Na semana, acumulou alta de 4,07%. O volume financeiro nesta sexta-feira totalizou cerca de R$ 38,4 bilhões.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O Ibovespa chegou a alcançar 97.540,33 pontos na primeira etapa da sessão em meio a notícias de que a União Europeia começou o processo de aprovação de um pacote de estímulo sem precedentes no bloco de 750 bilhões de euros, além de notícias mais positivas sobre as relações comerciais EUA-China.

No começo da tarde, porém, notícia de que a Apple voltará a fechar algumas lojas nos Estados Unidos por causa de aumento no número de novos casos de coronavírus naquele país derrubou Wall Street e arrastou o Ibovespa, que tocou a mínima da sessão, renovada mais tarde, a 95.874,30 pontos.

Além disso, o chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou que a recuperação econômica dos EUA da epidemia do coronavírus é desafiadora enquanto o presidente do Fed de Mineápolis, Neel Kashkari, disse que pode haver uma segunda onda de infecções no outono norte-americano.

O Departamento de Pesquisa Econômica do Bradesco observa que a possibilidade de uma segunda onda de contágio pelo novo coronavírus aumenta a incerteza sobre o ritmo de recuperação da economia global, com novos casos de Covid-19 voltando a aparecer na China e em alguns Estados dos EUA.

“As sondagens empresariais e com consumidores nas principais economias continuam apontando para recuperação já em maio, mas essa percepção precisa ser corroborada pelos dados efetivos”, afirmou, ponderando, contudo, que o Fed e outros BCs continuam sinalizando que estímulos seguirão presentes.

Na visão do estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, o excesso de liquidez disponibilizado pelos bancos centrais continua a se sobrepor sobre qualquer outro aspecto econômico ou financeiro, e até mesmo político, enquanto não houver risco de um evento mais extremo, como um processo de impeachment.

A prisão de um ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, acrescentou Kawa, traz mais uma pitada de incerteza ao ambiente, e a bolsa pode vir a sofrer. Mas ele ressaltou que o mercado acionário brasileiro está sendo bem sustentado pela liquidez global, além de uma taxa de juros historicamente baixa. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).