Após acordo milionário nos EUA, JBS sobe 9% e impulsiona ganhos do Ibovespa

Reprodução/Forbes

O Ibovespa encerrou a sessão desta quarta-feira (14) em alta, avançando 0,84% aos 99.334 pontos. O índice foi puxado pelos ganhos da JBS (JBSS3), que valorizou 9,71% no dia após a J&F, holding que controla a companhia, fechar um acordo milionário com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

No acordo, a J&F declarou-se culpada por violar a legislação norte-americana contra a corrupção, pagando cerca de US$ 128 milhões em multa às autoridades do país. O acordo elimina algumas das incertezas que pairavam sobre os planos da JBS em abrir capital de suas operações nos EUA.

No câmbio, o dólar passou o dia com leves quedas, mas recuperou terreno e encerrou mais um dia com valorização, ganhando 0,43% e negociado a R$ 5,60 na venda.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Em Wall Street, os principais índices do mercado tiveram mais um dia aversão ao risco com comentários do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, de que um acordo no Congresso para uma nova rodada de estímulo fiscal não deve ser alcançado até as eleições presidenciais, marcadas para 3 de novembro. A notícia pesou sobre o humor do mercado, que também precificava resultados financeiros mistos divulgados hoje pelos bancos norte-americanos.

O Dow Jones perdeu 0,58%, o S&P 500 recuou 0,66% e o Nasdaq Composite desvalorizou 0,80% no dia.

O Goldman Sachs reportou um aumento de 94% no lucro trimestral, para US$ 3,5 bilhões no 3T, contra 1,8% bilhão no mesmo período do ano anterior, puxado por um salto de 29% na receita de trading. O lucro por ação dobrou para US$ 9,68 dólares, contra US$ 4,79 no 3T19. Já o Bank of America, segundo maior banco dos EUA, teve uma queda de 15,8% no lucro líquido do terceiro trimestre, para US$ 4,44 bilhões (US$ 0,51 por ação), com declínio no desempenho de três dos seus quatro principais segmentos.

No Brasil, a temporada de balanços tem início amanhã com a divulgação de resultados da CSN após o fechamento do mercado.

As Bolsas europeias fecharam o dia no misto frente ao crescimento na taxa de contaminação por coronavírus na região. Hoje, a França declarou estado de emergência sanitária e a Itália registrou um novo recorde de casos positivos para a doença, com 7.332 novas infecções, contra 6.557 confirmadas em 21 de março, quando o país vivia o auge das contaminações. No fechamento, o FTSE 100 recuou 0,58%, o CAC 40, de Paris, perdeu 0,12% e o FTSE MIB, de Milão, avançou 0,25%. (Com Reuters)

Destaques do pregão na B3

Maiores Altas
JBSS3: +9,71% a R$ 21,58
PRIO3: +8,08% a R$ 38,40
RAIL3: +6,24% a R$ 19,06
BPAC11: +4,11% a R$ 74,70
QUAL3: +4,01% a R$ 32,94

Maiores Baixas
MGLU3: -2,12% a R$ 25,45
HGTX3: -1,94% a R$ 17,67
LREN3: -1,83% a R$ 39,13
LAME4: -1,69% a R$ 27,33
SUZB3: -1,63% a R$ 48,15

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.Reprodução/Forbes

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).