O que o movimento da Tesla significa para as criptomoedas?

diyun Zhu/GettyImages
diyun Zhu/GettyImages

O anúncio de investimento da Tesla animou o mercado das criptomoedas, no entanto, é fundamental ter uma perspectiva mais ampla sobre esses ativos

A Tesla protagonizou manchetes importantes ao investir US$ 1,5 bilhão em bitcoins nesta semana e anunciando que a organização planeja começar a aceitar a criptomoeda como forma de pagamento. Imediatamente após o anúncio, o preço do bitcoin disparou para novos recordes, movimento que gerou um frenesi de discussões, debates e análises.

Depois de investimentos e da sua adoção por organizações como o PayPal, Microstrategy, Visa, Square e Mastercard, o bitcoin e as criptomoedas parecem caminhar rapidamente para o mainstream.

O que pode se perder nesta análise frenética e especulações relativas ao preço futuro do bitcoin e outras criptomoedas são alguns dos efeitos associados a este movimento no setor de criptomoedas em geral. O processo junto à Comissão de Valores Mobiliários (SEC, na sigla em inglês) segue tweets recentes do CEO da Tesla, Elon Musk, sobre várias criptomoedas e podem não ter sido tão inesperados quanto alguns participantes do mercado acreditam.

Por mais empolgante que seja o anúncio da Tesla é fundamental ter uma perspectiva mais ampla. O preço dos criptoativos é volátil, tanto a queda, como a valorização desses ativos provocam múltiplas manchetes e debates, contudo, isso pode ofuscar o significado desse movimento no longo prazo. Vamos dar uma olhada em algumas questões e implicações que as notícias da Tesla e do bitcoin podem criar.

Houve uma série de debates sobre a determinação do valor do bitcoin e das criptos em geral. O que deixou de lado as finanças descentralizadas (DeFi), as iniciativas de tokenização, a grande maioria das criptos que não possuem fluxo de caixa, ganhos e outros componentes tradicionalmente associados a outros instrumentos financeiros. Essa falta de sustentação, por sua vez, levou alguns agentes do mercado a questionar continuamente sobre qual é, de fato, o uso apropriado para o bitcoin e criptomoedas.

Os movimentos recentes da Tesla e outras empresas em busca da aceitação e do uso do bitcoin (e como consequência, do blockchain) como meio de pagamento ilustram que as instituições estão, cada vez mais, entendendo e aceitando as criptos como meio de pagamento.

A facilidade de uso é fundamental. Enquanto as criptomoedas continuarem como uma opção de investimentos ainda existirão diferenças significativas entre as transações com moedas fiat (como o dólar e o real) e as criptomoedas.

Anunciar essa aprovação, contudo, é apenas parte da discussão. Consumidores, incluindo uma grande parte do mercado não especializado, precisam entender como usar, negociar e confiar em bitcoins ou outras transações em criptomoedas. A entrada de grandes processadores de pagamento e grandes organizações no universo cripto pode ser a combinação necessária para encorajar essa confiança.

Cibersegurança em alta. Assim como qualquer ideia animadora ou instrumento econômico, a importância de se proteger a informação e outros dados associados a estes instrumentos é essencial. A bolha da Oferta Inicial de Moedas (ICO, na sigla em inglês) pode ser uma memória do passado, mas à medida que o bitcoin e outras criptomoedas se valorizem e sejam mais utilizadas, o potencial de hacks, violações, e roubos vão aumentar invariavelmente.

Em outras palavras, a segurança cibernética, os recuos e as oportunidades para reparar os problemas que surgirem se tornarão ainda mais importantes no futuro.

Moeda ou investimento? O aumento dos preços é boa notícia para quem aposta no bitcoin em longo prazo e para aqueles que enxergam o setor como uma opção de investimento. A volatilidade dos preços, e até mesmo os movimentos de alta, não é tão boa para encorajar indivíduos e instituições a usar o bitcoin e outras criptos como uma alternativa legítima de moeda.

A questão, aqui, tem dois lados. Em que nível o preço do bitcoin finalmente se estabilizará, e se os indivíduos e instituições estarão dispostos a usá-lo como moeda até lá?

Diversificação em criptos. O que pode ser o resultado da contínua adoção, discussão e (possíveis) aumentos de preço da moeda é a diversificação contínua do espaço das criptomoedas. Isso já está encaminhado desde a última vez que o bitcoin alcançou sua maior máxima em 2017 com o crescimento e expansão das stablecoins. Podemos ter efeitos semelhantes ao longo de 2021.

Além disso, um impulso em 2020 e 2021 em direção ao desenvolvimento de Moedas Digitais dos Bancos Centrais (CBDCs, na sigla em em inglês) é o indicativo de que indivíduos, instituições e formuladores de políticas públicas já estão trabalhando em instrumentos mais estáveis de cripto.

As notícias referentes à Tesla e ao bitcoin são definitivamente animadoras para o blockchain e criptos, isso é certo. A volatilidade dos preços, as discussões acerca do investimento institucional e utilização como alternativa a moedas fiat, bem como as implicações sobre outros ativos certamente irão conduzir as discussões adiante. Mais importante, no entanto, são as implicações que esses movimentos dramáticos podem ter no blockchain e nas criptomoedas em geral.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).