Bayer venderá unidade de controle de pragas avaliada em € 2 bilhões

Wolfgang Rattay/Reuters
Wolfgang Rattay/Reuters

A Bayer pretende vender a unidade para concorrentes como Scotts Miracle-Gro e ICL

O grupo químico alemão Bayer se prepara para iniciar um leilão por sua unidade de controle de pragas BES (Bayer Environmental Science), avaliada em mais de € 2 bilhões (US$ 2,35 bilhões), durante o verão europeu, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

A gigante dos agroquímicos, que segue buscando uma desalavancagem após a aquisição da norte-americana Monsanto por US$ 66 bilhões em 2016, está trabalhando com o Bank of America no desinvestimento da BES, segundo as fontes.

LEIA MAIS: Orbia, da Bayer, planeja expansão na América Latina após acordo com Bunge no Brasil

Embora as primeiras reuniões introdutórias com potenciais compradores já estejam acontecendo, um leilão será oficialmente iniciado um pouco antes ou depois do recesso de verão (no Hemisfério Norte), com perspectiva de que um acordo seja assinado até o final do ano, acrescentaram as pessoas.

A Bayer e o Bank of America preferiram não comentar o assunto.

A Bayer pretende vender a unidade – que fornece produtos como pesticidas para campos de golfe e serviços de proteção contra roedores a depósitos – para concorrentes como Scotts Miracle-Gro e ICL, além de grupos de private equity, disseram as fontes.

A BES deverá registrar um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de cerca de € 200 milhões neste ano, podendo ser avaliada em de 10 a 12 vezes isso, acrescentaram. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).