Geração baby boomers é a próxima a pular em criptmoeadas, diz especialista

A previsão foi feita por Mike Novogratz, fundador da Galaxy Digital. Segundo ele, a entrada desse grupo deve trazer bilhões de dólares para o setor

Redação
Compartilhe esta publicação:
Lucas Jackson/Reuters
Lucas Jackson/Reuters

De acordo com Novogratz, a oferta de criptomoedas feita a partir de bancos e plataformas de negociação está atraindo essa geração ao setor

Acessibilidade


Os baby boomers ricos serão a próxima geração a entrar no mundo das criptomoedas, o que deverá trazer bilhões de dólares para o setor, afirmou Mike Novogratz, fundador da firma de criptomoedas Galaxy Digital.

“Pode chegar a US$ 1 trilhão no próximo ano, a depender desse grupo gigante de riquezas”, disse Novogratz, que administrava fundos de hedge para a Fortress, em entrevista durante o Reuters Digital Assets Week.

LEIA MAIS: Se o bitcoin quebrar, todo o mercado cai com ele

Formada por aqueles que nasceram entre 1946 e 1964, a geração está tendo o interesse despertado para esse setor à medida que os grandes bancos e as novas plataformas de negociação começaram a oferecer produtos de criptomoedas, explica Novogratz.

O Morgan Stanley se tornou este mês o primeiro grande banco dos Estados Unidos a oferecer a seus clientes acesso a fundos de bitcoin, incluindo a Galaxy Digital.”O dinheiro começará a chegar no início do mês que vem”, disse ele sobre a ação do banco de Wall Street.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O bitcoin atingiu recorde de quase US$ 62 mil neste mês, o mais recente marco da ascensão meteórica impulsionada pela crescente adoção da moeda digital por grandes empresas como a Tesla e por alguns dos maiores investidores dos EUA.

No entanto, a maior parte do interesse até agora veio de investidores mais jovens, confortáveis ​​com o conceito de ativos digitais. Muitos deles veem o bitcoin como um ativo que pode tanto se valorizar dramaticamente como também proteger as economias da ameaça de inflação provocada pela impressão de dinheiro.

O bitcoin, originalmente concebido como uma forma de pagamento, é, segundo Novogratz, um ativo que funciona melhor para armazenar valor. “Se você está preocupado com o fato de os EUA estarem imprimindo muitos dólares…você vai transferir algumas de suas economias para bitcoin”, disse ele.(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: