Desempenho positivo de fundos de hedge de tecnologia pode estar prestes a mudar

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Com o recente aumento das taxas de juros, o setor dá início a uma fase de menor visibilidade no mercado, uma tendência que deve ganhar força em curto prazo

Os fundos de hedge com foco em tecnologia têm disparado por muitos anos, mas isso pode estar prestes a mudar à medida que as taxas de juros começarem a subir. O índice de fundos de hedge focados em tecnologia da Eurekahedge retornou 12,22% por ano desde o final de 2007, superando significativamente os fundos de valor, fundos de ações com estratégias long e short e até mesmo a média dos fundos de hedge globais.

Em números, os fundos de valor retornaram 4,72% ao ano, os fundos de ações long/short retornaram 6,24% e o fundo de hedge global retornou 5,89% ao ano durante o mesmo período. Apesar desse desempenho superior, o Nasdaq Composite venceu os fundos de hedge focados em tecnologia com um retorno anualizado de 12,96%.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Taxas crescentes atingem as ações de tecnologia

Em seu relatório de março, a Eurekahedge observou que o Nasdaq Composite subiu 43,64% no ano passado, apresentando o maior retorno desde 2009 e batendo o ganho de 16,26% do S&P 500. As ações de tecnologia se beneficiaram dos lockdowns e do trabalho remoto.

As ações de tecnologia também foram beneficiadas pela decisão do Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos) de cortar as taxas de juros da economia para zero. Os investidores, geralmente, veem as ações de tecnologia como investimentos de longo prazo, mas a queda nas taxas de juros aumentou o valor desses possíveis ganhos futuros e apoiou a escalada nos preços das ações.

Composição do índice de fundos de hedge de tecnologia

O índice de fundos de tecnologia da Eurekahedge é um índice de igual peso composto por 60 fundos de hedge ativos que investem massivamente no setor de tecnologia. Desde 2008, os fundos de hedge de ações long/short responderam pela parte pesada do índice, com quase 90% de participação na composição em 2008 e 81% atuais. Os fundos bottom-up aumentaram de 2,8% do índice para 6,7% do índice, enquanto as demais estratégias também cresceram de 2,8% para 9,3%. Os fundos com estratégia dupla diminuíram de 5,6% o peso no índice em 2008, para 2,7% atuais.

A composição geográfica do índice também mudou. A América do Norte tinha mais de 40% de participação em 2008, mas desde então diminuiu para 25%. Os fundos globais agora representam mais da metade do índice. A Europa caiu de 11% do índice para 5%, enquanto a China aumentou de 2,8% para 8%.

Melhor relação Risco X Retorno

Os fundos de hedge focados em tecnologia não se saíram melhor apenas em retornos do que seus pares. Eles também têm índices sharpe melhores do que seus rivais nos últimos dez anos, superando-os por uma margem significativa.

Nos últimos três anos, os fundos de tecnologia geraram um índice sharpe de 1,36, enquanto os fundos de ações long/short geraram um índice de 0,69. O índice Eurekahedge Hedge Fund registrou resultado para essa relação de 0,71.

Não é novidade que os fundos focados em tecnologia têm uma maior capacidade de superar os índices de referência (benchmarks) em relação a outros, mas com o aumento das taxas de juros, essa vantagem se apequenou, uma tendência que provavelmente continuará no curto prazo.

O alfa dos fundos de tecnologia em relação aos índices de referência atingiu o pico em dezembro, mas desde então, os rendimentos dos títulos têm subido, pesando sobre o desempenho das ações de tecnologia. Se os rendimentos dos títulos continuarem subindo, a tendência de declínio do alfa positivo provavelmente também continuará.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).