Ibovespa abre em queda com riscos políticos no radar

O Ibovespa abre em queda hoje (30), com baixa de 0,38%, a 126.841 pontos perto das 10h11, horário de Brasília, repercutindo riscos de instabilidade política após denúncias de pedidos de propina na compra de vacinas contra a Covid-19. Os investidores nacionais ainda acompanham a divulgação de dados econômicos do país, os desdobramentos da reforma tributária no Congresso e o posicionamento da Aneel frente à crise hídrica. No exterior, o mercado segue avaliando o impacto das variantes de Covid-19 sobre as economias e a tendência inflacionária, em dia de divulgação de dados importantes nos EUA.

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 14,7% no primeiro trimestre de 2021, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira. Segundo pesquisa da agência Reuters, o resultado saiu conforme a mediana das previsões para o período.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O Banco Central também divulgou os dados fiscais de maio, apontando que o Setor Público Consolidado registrou, no período, um déficit primário de R$ 15,5 bilhões, ante déficit de R$ 131,4 bilhões na comparação anual. No acumulado em 12 meses, o déficit atingiu R$ 428,6 bilhões (5,41% do PIB), recuando 1,58 ponto percentual ante abril. A dívida líquida do setor, por sua vez, caiu 0,1 ponto percentual do PIB no mês, alcançando 59,7% do PIB.

O dólar sobe frente ao real nos primeiros negócios desta sexta-feira, enquanto os operadores monitoram a aversão a risco no exterior e os ruídos políticos domésticos. Às 10h11, o dólar subia 0,71%, a R$ 4,9769.

As Bolsas nos Estados Unidos apontam para uma abertura em queda no último dia do trimestre, enquanto investidores atentam para os futuros da inflação, do desemprego e das novas variantes de Covid-19. Os dados sobre a variação de empregos urbanos no país vieram acima das expectativas, segundo o relatório ADP, com a criação de 692 mil vagas em junho, acima do esperado de 600 mil, frente aos 978 mil de maio. O mercado também está em compasso de espera pelos dados do payroll (relatório de empregos) de junho, divulgados nesta sexta-feira.

As ações europeias operam em baixa nesta sessão, refletindo a persistência das preocupações com a pandemia e a inflação, enquanto investidores monitoram uma série de dados econômicos. O PIB do primeiro trimestre do Reino Unido recuou 1,6% na comparação trimestral, ligeiramente abaixo das expectativas, que eram de queda de 1,5%. A inflação na Zona do Euro caiu a 1,9% em junho, ante 2,0% em maio, em linha com as previsões em pesquisa da agência Reuters.

O Stoxx 600 cai 0,52%; na Alemanha, o DAX recua 0,85%; enquanto o CAC 40 desvaloriza 0,59% na França; na Itália, o FTSE MIB é negociado em baixa de 0,71%; e o FTSE 100 tem queda de 0,46%, no Reino Unido.

As Bolsas asiáticas fecharam o dia com resultados variados. O Hang Seng, de Hong Kong, desvalorizou 0,57%, após passar o último dia fechado devido ao feriado; o BSE Sensex, de Mumbai, fechou em queda de 0,13%; no Japão, o índice Nikkei recuou 0,07%.

Enquanto isso, o índice Shanghai, da China, subiu 0,50% ao longo do dia, após o PMI (Índice de Gerentes de Compras) para a indústria do país cair a 50,9, de 51,0 em maio, conforme a Agência Nacional de Estatísticas divulgou nesta quarta-feira. Ainda assim, o resultado superou a expectativa de analistas de recuo a 50,8.

Os contratos futuros do minério de ferro negociados em Dalian caminham para o sétimo trimestre consecutivo de ganhos, embora uma queda nas margens de lucros das usinas siderúrgicas chinesas tenha pressionado as cotações nas últimas sessões de junho. Nesta quarta-feira, o contrato mais negociado do minério de ferro na Bolsa de Commodities de Dalian, para entrega em setembro, fechou em queda de 0,7%, a 1.165 iuanes (US$ 180,50) por tonelada.

O Comitê Técnico Conjunto da Opep+ divulgou um relatório alertando para “incertezas significativas” e o risco de um excesso de oferta de petróleo após abril de 2022. O documento defende que o atual acordo do grupo para restrições de produção seja estendido. O painel informou que ainda projeta um crescimento de 6 milhões de bpd (barris de petróleo por dia) na demanda global em 2021, mas que há riscos negativos para os preços.

Apesar do alerta trazido pelo painel, os preços do petróleo operam em alta nesta quarta-feira, caminhando para ganhos mensais e trimestrais, após alguns dados sugerirem que os estoques de petróleo dos EUA estavam encolhendo. Às 9h55, o petróleo Brent subia 1,20%, a US$ 75,17 o barril, enquanto o WTI avançava 1,25%, a US$ 73,89 o barril. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).