Ações da Tesla caem depois que usuários do Twitter votam para Musk vender fatia

As ações da fabricante de veículos elétricos eram negociadas a US$ 1.185,95, depois de caírem para US$ 1.133 no início da sessão.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Matthew Childs/Reuters
Matthew Childs/Reuters

Logotipo do fabricante de automóveis Tesla é visto em uma concessionária em Londres, Grã-Bretanha

Acessibilidade


As ações da Tesla caíam cerca de 3% hoje (8) depois que usuários do Twitter votaram à favor de proposta de Elon Musk de vender cerca de 10% de sua participação na montadora de carros elétricos.

Musk, o homem mais rico do mundo, escreveu no Twitter no sábado que iria vender 10% de sua participação na empresa se os usuários da rede social aprovassem a proposta.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A pesquisa publicada por Musk no Twitter recebeu mais de 3,5 milhões de votos e 57,9% das pessoas votaram “Sim” para a proposta de venda das ações.

Musk havia dito anteriormente que teria de exercer um grande número de opções de ações nos próximos três meses, o que geraria uma grande cobrança de impostos. A venda de parte das ações poderia liberar recursos para pagamento de impostos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Eu só tenho ações, portanto, a única maneira de pagar impostos pessoalmente é vendendo ações”, escreveu Musk junto com sua pesquisa. “Eu estou preparado para aceitar qualquer uma das opções.”

As ações da fabricante de veículos elétricos eram negociadas a US$ 1.185,95, depois de caírem para US$ 1.133 no início da sessão.

Musk possuía cerca de 170,5 milhões de ações da Tesla até 30 de junho e uma venda de 10% equivaleria a cerca de 21 bilhões de dólares com base no preço de fechamento de sexta-feira, segundo cálculos da Reuters. Incluindo as opções, Musk possui 23% das ações da montadora.

O tuíte de Musk mais uma vez levanta questões sobre se ele está cumprindo acordo de 2018 acertado com a SEC (comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos) sob o qual tuítes relevantes sobre a empresa precisam ter aprovação de advogado antes de serem publicados.

A SEC, que não quis comentar o assunto, concluiu que Musk violou o acordo em 2019, levando a agência a tornar o acordo mais rígido.

O bilionário, conhecido por suas brincadeiras no Twitter e interações animadas com seguidores, foi multado em US$ 20 milhões pela SEC por publicar na rede social em 2018 que estava considerando tornar a Tesla privada pelo valor de US$ 420 por ação e que já tinha financiamento garantido para isso. A SEC também pediu que ele deixasse o cargo de presidente da empresa.

Compartilhe esta publicação: