Ações da Evergrande renovam mínima recorde após incorporadora não pagar títulos de dívida

Papéis da incorporadora caíram a 1,72 dólar de Hong Kong, menor valor desde sua estreia na bolsa, em 2009.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Aly Song/Reuters
Aly Song/Reuters

Depois da falha em pagar US$ 82,5 milhões em juros, a Evergrande quase se tornou a maior a maior inadimplente da China

Acessibilidade


As ações do China Evergrande Group atingiram uma mínima recorde hoje (8), depois que o fracasso no cumprimento de um prazo para pagamento de dívida deixou a incorporadora perto de se tornar a maior inadimplente do país, mesmo com esperanças de uma reestruturação administrada da dívida acalmando temores de um colapso total.

A ação desceu a 1,72 dólar de Hong Kong, menor valor desde a estreia na bolsa, em novembro de 2009.

VEJA TAMBÉM: O que você precisa saber antes de investir na China

Até agora, qualquer colapso da Evergrande foi amplamente contido, e, com os formuladores de política econômica mais ativos e os mercados mais familiarizados com o problema, é menos provável que as consequências de seus problemas se espalhem, disseram observadores do mercado.

O fracasso da Evergrande em fazer US$ 82,5 milhões em pagamentos de juros com vencimento em 6 de novembro de alguns títulos em dólares norte-americanos geraria um default cruzado de seus cerca de US$ 19 bilhões em títulos internacionais, com possíveis ramificações na economia da China e além.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Embora o período de carência de 30 dias tenha acabado, a Evergrande não anunciou um calote formal dos pagamentos dos títulos. A incorporadora não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da Reuters.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

As negociações com as ações da pequena Kaisa Group Holdings, também em apuros, foram suspensas hoje, depois que uma fonte com conhecimento direto do assunto disse ser improvável que companhia cumprisse o prazo para pagamento de US$ 400 milhões em dívida “offshore” ontem (7). (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: