Bank of America tem salto no lucro com M&As e alta em carteira de crédito

O banco registrou lucro de US$ 6,77 bilhões nos últimos três meses de 2021.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Bank of America teve lucro maior no quarto trimestre, impulsionado por um aumento na carteira de empréstimos e resultado da divisão de banco de investimentos.

O lucro do banco subiu para US$ 6,77 bilhões, ou US$ 0,82 por ação, ante US$ 5,21 bilhões, ou US$ 0,59 por papel, no mesmo período do ano anterior.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A média das estimativas de analistas apontava para lucro de US$ 0,76 por ação, de acordo com dados da Refinitiv.

A receita líquida com juros (NII), uma métrica que mede a diferença entre os juros obtidos com empréstimos e pagos em depósitos, subiu quase 11%, para US$ 11,41 bilhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Durante o ano, o BofA (Bank of America) aproveitou o boom global de operações de fusões e aquisições para registrar forte lucro, com os negócios de banco de investimento alcançando volumes recordes.

O banco também liberou US$ 851 milhões de suas provisões para perdas relacionadas à pandemia que não se materializaram.

As ações do BofA subiam quase 2% no pré-mercado em Nova York.

A recuperação dos gastos do consumidor com cartões de crédito e débito e um forte desempenho nos negócios de trading e consultoria também ajudaram a impulsionar o lucro do banco.

Depois de enfrentar uma erosão constante na receita com crédito devido a taxas de juros baixíssimas, os bancos dos Estados Unidos devem ver parte dessa pressão aliviar, já que o Federal Reserve indica aumento nas taxas ainda neste ano.

O BofA, segundo maior banco dos EUA em ativos, deve ser um dos maiores beneficiários desse movimento, dada sua grande carteira de empréstimos e depósitos, bem como enorme exposição a títulos hipotecários sensíveis aos juros, em comparação com seus pares de Wall Street.

Compartilhe esta publicação: