Empresas aeroespaciais receberam investimentos recordes de US$ 14,5 bilhões em 2021

Aportes em companhias do setor foram quase o dobro do registrado em 2020.

Sergei Klebnikov
Compartilhe esta publicação:
SpaceX/NASA
SpaceX/NASA

A SpaceX, do bilionário Elon Musk, levantou US$ 337 milhões no último trimestre do ano passado

Acessibilidade


Empresas aeroespaciais, incluindo a SpaceX, do bilionário Elon Musk, e a Sierra Space, receberam quase US$ 15 bilhões em investimentos privados em 2021, sendo US$ 4,3 bilhões apenas no quarto trimestre. O setor, que passa por uma forte expansão nos últimos anos, viveu um ano recorde impulsionado por investidores que apostam na “economia espacial”.

As empresas de infraestrutura espacial receberam o valor recorde de US$ 14,5 bilhões em investimentos privados em 2021, 50% a mais do que os US$ 9,8 bilhões de 2020, segundo um relatório divulgado na última terça-feira (18) pela empresa Space Capital, sediada em Nova York.

Os investimentos em empresas espaciais atingiram esse nível graças ao quarto trimestre, que também registrou recordes próprios: foram US$ 4,3 bilhões arrecadados em uma série de “mega-rodadas” de financiamento.

Os destaques do último trimestre incluem a Sierra Space, que arrecadou US$ 1,4 bilhão em uma rodada de financiamento em estágio avançado; a SpaceX, de Musk, recebeu US$ 337 milhões em investimentos; e a Planet Labs levantou US$ 250 milhões depois de abrir capital seu capital por meio de uma fusão Spac (companhia com propósito especial de aquisição) em dezembro de 2021.

No ano passado, 1.694 empresas do setor aeroespacial de todo o mundo receberam US$ 252,9 bilhões em investimentos, de acordo com o relatório da Space Capital.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Olhando para o futuro, vemos enormes oportunidades para escalar a adoção em massa da infraestrutura existente. Procuramos abordagens radicalmente novas para construir e operar ativos baseados no espaço”, afirma Chad Anderson, sócio-gerente da Space Capital, no relatório.

A empresa está especialmente empolgada com o foguete Starship da SpaceX, que deve entrar em operação em 2022. O lançamento não apenas inaugurará uma “nova fase de desenvolvimento de infraestrutura”, mas também “mudará completamente a forma como operamos no espaço”, segundo a Space Capital.

Apesar de 2021 ter sido um ano marcante para a indústria, a Space Capital alertou que as mudanças no mercado podem afetar os investimentos no setor aeroespacial neste ano. As perspectivas de aumento das taxas de juros já atingem as empresas de tecnologia e de crescimento, e esse impacto pode ser maior sobre as companhias aeroespaciais que abriram o capital recentemente.

“Nem todos as aberturas de capital via Spacs são iguais”, diz Anderson. “As bolsas começaram o ano com uma liquidação e, se continuarem assim, as empresas que dependem de capital de risco poderão encontrar dificuldade em levantar fundos tão grandes quanto os do ano passado.”

“É importante que os investidores percebam que o investimento no setor aeroespacial requer conhecimento especializado”, afirma a Space Capital no relatório. “Acreditamos que isso se tornará mais aparente em 2022, à medida que algumas dessas empresas supervalorizadas voltam à Terra e as empresas de qualidade decolam”.

Compartilhe esta publicação: