Ibovespa hoje: Bolsa fecha em alta apesar de receios fiscais

O avanço foi impulsionado pelos papéis de commodities metálicas.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou hoje (18) em alta de 0,28%, a 106.667 pontos, contrapondo-se à aversão ao risco no cenário externo. O avanço foi impulsionado pelos papéis de commodities metálicas, como a Vale (VALE3) e a Usiminas (USIM5), que subiram 2,45% e 1,91%, respectivamente.

O mercado segue acompanhando as mobilizações de funcionários públicos no Brasil. Os movimentos se iniciaram com a autorização do governo federal para reajustar salários de algumas categorias policiais, gerando insatisfação em outras carreiras.

“Caso as reivindicações dos servidores sejam atendidas pelo governo, a delicada situação fiscal poderá se deteriorar. Com R$ 9 bilhões subestimados em despesas, a tarefa de atender à regra do teto de gastos em 2022 se tornará ainda mais desafiadora caso mais categorias sejam contempladas pela medida”, afirmou a gestora Rio Bravo em comentário.

O vice-presidente Hamilton Mourão, porém, afirmou hoje que não há espaço no Orçamento para a concessão de reajuste para os servidores. Ele disse que nem mesmo o reajuste para trabalhadores da área de segurança pública e agentes comunitários está garantido.

Os destaques positivos da sessão incluíram os papéis da PetroRio (PRIO3), Cogna (COGN3) e Gerdau (GGBR4), que avançaram 4,82%, 3,69% e 3,40%, respectivamente. A petroleira foi impulsionada pelo avanço do preço da commodity no exterior, que atingiu o maior patamar em sete anos, com investidores preocupados com uma possível interrupção no fornecimento após ataques no Oriente Médio.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em Wall Street, os índices encerraram o dia no vermelho. O Dow Jones caiu 1,51%, a 35.368 pontos; o S&P 500 subiu 1,84%, a 4.577 pontos; e o Nasdaq ganhou 2,60%, a 14.506 pontos.

Os rendimentos dos Treasuries de dois anos, que refletem apostas para os rumos das taxas de juros de curto prazo, ultrapassaram 1% pela primeira vez desde fevereiro de 2020, enquanto investidores aguardam um Federal Reserve, banco central norte-americano, mais “hawkish”.

Com perspectivas de um aumento nas taxas de juros, as ações de tecnologia têm sido as mais prejudicadas. Esse setor do S&P fechou em baixa de 2,27%.

O setor financeiro foi outro destaque negativo da sessão. As ações do Goldman Sachs caíram depois que o banco de investimentos não satisfez as expectativas de lucro trimestral em seu balanço corporativo, impactado no período por fracos volumes de negociações nos mercados de capitais. O lucro caiu 13% no quarto trimestre de 2021, para US$ 3,81 bilhões, de US$ 4,36 bilhões no mesmo período do ano anterior.

O dólar encerrou o dia em alta de 0,61%, negociado a R$ 5,5598 na venda. A moeda ganhou força ao longo da tarde após uma manhã de queda, à medida que a pressão externa prevaleceu sobre receios ligados à velocidade do aperto monetário nos Estados Unidos. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: