Perspectiva para inflação é altamente incerta, diz Holzmann do Banco Central Europeu

A inflação na zona do euro atingiu 5% em dezembro mas o banco a vê novamente abaixo de 2% no quarto trimestre.

Da Reuters
Compartilhe esta publicação:
Kinga Krzeminska/Getty Images
Kinga Krzeminska/Getty Images

A inflação na zona do euro atingiu 5% em dezembro mas o banco a vê novamente abaixo de 2% no quarto trimestre

Acessibilidade


Há “muita incerteza” sobre quanto tempo a inflação permanecerá bem acima da meta do Banco Central Europeu de cerca de 2%, disse o membro do Conselho do BCE Robert Holzmann em entrevista ao jornal Die Presse publicado hoje (23).

O BCE há muito mantém a visão de que a inflação cairá este ano de seu recorde atual, uma expectativa que sua presidente Christine Lagarde repetiu na última sexta-feira.

A inflação na zona do euro atingiu 5% em dezembro, mais que o dobro da meta do BCE, mas o banco a vê novamente abaixo de 2% no quarto trimestre.

“Ainda não está descartado que isso aconteça. No entanto, também não sabemos se a inflação permanecerá em um nível mais alto, afinal”, disse Holzmann, que é presidente do banco central da Áustria, ao Die Presse.

“A inflação é, portanto, uma montanha ou está se tornando um planalto? Há muita incerteza sobre isso porque também não pode ser reproduzido muito bem por nossos modelos”, disse ele ao jornal austríaco.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Efeitos de segunda ordem, como aumentos salariais, seriam decisivos, acrescentou e, como Lagarde, disse que por enquanto não há sinais de uma espiral preço-salário, mas muito dependerá das negociações salariais este ano.

“Fundamentalmente, há, portanto, o perigo de uma espiral salário-preço. Acredito, no entanto, que os representantes trabalhistas e patronais estão agindo de forma muito racional e ponderada aqui”, disse Holzmann.

Compartilhe esta publicação: