Alpargatas levanta R$ 2,5 bilhões em oferta de ações; veja os destaques do Radar

Últimas notícias sobre: Eletrobras, Braskem, Ecorodovias, Oi, Petrobras, Vale, BRF, Telefônica, Mercado Livre, Localiza e Gerdau.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (23), a Alpargatas levantou R$ 2,498 bilhões através da emissão de 37,5 milhões ações ordinárias e 57,5 milhões ações preferenciais. A companhia utilizará os recursos para financiar o pagamento da compra de uma participação na Rothy’s Inc.

Já a Eletrobras informou que seus acionistas aprovaram, por maioria, a desestatização da companhia, prevista para acontecer no primeiro semestre deste ano. O aval dos acionistas ao processo é um dos últimos passos para que a companhia possa ser privatizada.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Veja esses e outros destaques corporativos do dia:

Alpargatas (ALPA4)

A Alpargatas levantou R$ 2,498 bilhões através da emissão de 37,5 milhões ações ordinárias e 57,5 milhões ações preferenciais, ao preço por ação de R$ 26,30. Os papéis passarão a ser negociados na B3 a partir de amanhã (24).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“A companhia pretende utilizar a totalidade dos recursos líquidos provenientes da oferta restrita para financiar o pagamento da aquisição, pela companhia, de participação societária na Rothy’s Inc”, afirmou.

Eletrobras (ELET6)

Os acionistas da Eletrobras aprovaram a desestatização da companhia, prevista para acontecer no primeiro semestre deste ano.

Segundo o comunicado, foi aprovada uma série de medidas relativas ao processo, como os valores bilionários a serem pagos pela renovação de concessões de geração da empresa em outorga à União e à CDE (Conta de Desenvolvimento Energético).

O aval dos acionistas ao processo é um dos últimos passos para que a companhia possa ser privatizada. Resta ainda uma última análise do TCU (Tribunal de Contas da União) sobre o processo.

Braskem (BRKM5)

A Braskem adquiriu uma participação acionária minoritária nas sociedades de propósito específico Ventos de Santa Amélia e Ventos de Santo Abelardo. As geradoras de energia eólica são controladas pelo FIP Salus do grupo Casa dos Ventos.

“Tal aquisição acionária está alinhada com a estratégia da companhia de ampliação do uso de matrizes energéticas limpas em suas operações, inserindo a companhia no regime de autoprodução de energia renovável”, afirmou a Braskem em comunicado.

Os valores da transação não foram revelados.

Ecorodovias (ECOR3)

A Ecorodovias informou que foi aprovada a 6ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em série única, para distribuição pública com esforços restritos.

A emissão será composta por 950 mil debêntures, com valor nominal unitário de R$ 1 mil, totalizando R$ 950 milhões. O prazo de vencimento será de cinco anos contados da data de emissão.

Também foi aprovada a 4ª emissão de debêntures da Concessionária Ecovias dos Imigrantes, no valor de R$ 950 milhões. Juntas, as duas emissões somam R$1,9 bilhão.

Oi (OIBR4)

A Oi informou que o seu conselho de administração aprovou o aumento de capital social da companhia no valor de R$ 4,5 milhões para subscrição privada.

“Por se tratar de um aumento de capital mediante capitalização de créditos, será assegurado o direito de preferência dos atuais acionistas da companhia na subscrição das ações emitidas”, disse em comunicado.

Petrobras (PETR3; PETR4)

A Petrobras informou que seu conselho de administração aprovou a venda da totalidade de sua participação no Polo Norte Capixaba para uma subsidiária da Seacrest Exploração e Produção de Petróleo.

Segundo o comunicado, a transação envolve até US$ 544 milhões. Desse total, US$ 35,85 milhões seriam pagos na data de celebração do contrato, e outros US$ 442,15 milhões no fechamento da transação. O negócio envolve ainda US$ 66 milhões em pagamentos contingentes previstos em contratos, a depender das cotações futuras do Brent.

O Polo Norte Capixaba compreende quatros campos terrestres localizados no Espírito Santo.

A empresa também informou que foi aprovada a liquidação parcial antecipada do Termo de Compromisso Financeiro Pré-70 e do Termo de Compromisso Financeiro Diferença de Pensão, celebrado com a Petros (Fundação Petrobras de Seguridade Social), no valor de R$ 6,882 bilhões, prevista para ocorrer no dia 25 de fevereiro de 2022.

Vale (VALE3)

A Vale e a Valin Group assinaram um memorando de entendimento para buscar soluções para a siderurgia com foco na redução das emissões de CO2.

“A iniciativa contribui para alcançar o compromisso da Vale de reduzir 15% das emissões líquidas de escopo 3 até 2035. Além disso, a Vale busca reduzir suas emissões absolutas de escopo 1 e 2 em 33% até 2030 e alcançar neutralidade até 2050, em linha com o Acordo de Paris, liderando o caminho em direção à mineração sustentável”, disse a companhia em comunicado.

BRF (BRFS3)

A BRF reportou lucro líquido de R$ 932 milhões no quarto trimestre de 2021, avanço de 3,3% no comparativo anual, em meio a ganhos de receita e ajustes para minimizar custos.

O Ebitda ajustado do trimestre atingiu R$ 1,68 bilhão de reais, aumento de 6,3%, “mesmo em um cenário adverso e desafiador”, disse a empresa, que sofre os efeitos da pandemia e de um ambiente inflacionário elevado.

A receita líquida obtida nos três últimos meses do ano somou R$ 13,72 bilhões, alta de 19,6% no comparativo anual.

Telefônica (VIVT3)

A Telefônica Brasil teve lucro líquido de R$ 2,63 bilhões no quarto trimestre de 2021, 103% acima do desempenho de um ano antes, impulsionado pelo reconhecimento de crédito fiscal de R$ 1,4 bilhão.

Os valores referem-se à decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de considerar inconstitucional a incidência de imposto de renda e CSLL sobre correções da taxa Selic “recebidas em razão de devolução de impostos recolhidos indevidamente”.

O resultado operacional medido pelo Ebitda foi de R$ 4,93 bilhões, praticamente em linha com os R$ 4,87 bilhões esperados pelo mercado, segundo a Refinitiv.

Mercado Livre (MELI34)

O Mercado Livre anunciou que sua receita líquida somou US$ 2,1 bilhões no quarto trimestre, alta de 60,5% sobre um ano antes. No Brasil, mercado que representa 53% do faturamento da empresa, o avanço foi de 56% em dólares e de 62,4% em reais.

Um ano antes, na esteira do crescimento explosivo das operações digitais na América Latina, a receita da companhia tinha praticamente dobrado em dólar.

A desaceleração refletiu um crescimento mais gradual tanto de novos clientes, quanto das vendas. A base de usuários únicos ativos somou 82,2 milhões no fim de 2021, 11,1% maior em 12 meses, após ter disparado 74% no ano anterior.

Localiza (RENT3)

A Localiza anunciou que teve lucro de R$ 442,1 milhões no quarto trimestre, avanço de 10% na base anual.

O resultado do período, porém, ficou levemente abaixo da previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de R$ 461,8 milhões de reais.

Gerdau (GGBR4)

A Gerdau reportou lucro líquido de R$ 3,560 bilhões no quarto trimestre de 2021, um crescimento de 237% na base anual. Segundo a companhia, o resultado foi recorde histórico para um quarto trimestre, impulsionado pelo maior Ebitda.

O aumento foi reflexo do crescimento global das commodities ao longo de 2021 e do impacto positivo da conversão das receitas das operações da empresa na América do Norte, influenciadas pela depreciação do real. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: