Previsão de lucro da Uber para 2024 fica abaixo das expectativas e ações caem

Após IPO em 2019, a Uber viu suas ações caírem pela metade durante a pandemia.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
SOPA Images/Getty Images
SOPA Images/Getty Images

A Uber revelou estratégias para elevar o número de passageiros e reduzir custos

Acessibilidade


A Uber previu lucro operacional de US$5 bilhões para 2024, aquém das estimativas de analistas, fazendo as ações caírem nesta hoje (10), mesmo revelando estratégias para elevar o número de passageiros e reduzir custos. 

A previsão está abaixo dos US$5,7 bilhões que analistas esperam para 2024, segundo dados da Refinitiv.

Num encontro com investidores, o diretor financeiro Nelson Chai disse que a Uber previu cerca de US$5 bilhões em Ebitda, exclui custos não recorrentes, principalmente em compensações baseadas em ações.

A empresa espera também reportar reservas brutas entre US$165 bilhões e US$175 bilhões em 2024, disse Chai.

Analistas previam reservas brutas de US$169,73 bilhões, segundo dados da Refinitiv.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O analista da Vertical Research Jeff Kauffman disse que o número apresentado para 2024 é conservador, e que a Uber está investindo em novos negócios e será recompensada após 2024.

VEJA MAIS: Uber mira delivery de supermercado para manter crescimento

O vice-sênior de mobilidade da Uber, Andrew Macdonald, disse que a empresa também teve que reduzir preços para aumentar a base de clientes.

“A maior parte do nosso mercado endereçável está abaixo do preço que o UberX pratica”, disse ele, referindo-se à opção de carona premium do Uber.

Macdonald disse que a empresa ainda tem um grande número de clientes inexplorados nos mercados globais em que opera, com apenas uma pequena parcela da população adulta em cada país usando Uber regularmente.

Após abrir o capital em maio de 2019, a Uber viu suas ações caírem pela metade durante a pandemia iniciada em 2020, quando os negócios de carona da empresa esfriaram.

As ações da companhia caíam cerca de 5% na tarde de hoje (10).

Compartilhe esta publicação: