Casa Branca e G7 incluem criptomoedas em sanções contra a Rússia

Tesouro do Estados Unidos monitora se oligarcas do país estão usando ativos digitais para contornar ou violar as medidas impostas.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Imagem/Unsplash
Imagem/Unsplash

Casa Branca e G7 incluem criptomoedas em sanções contra a Rússia

Acessibilidade


A Casa Branca e o G7 anunciaram novas sanções contra a Rússia ontem em um comunicado em conjunto. Pela primeira vez, as criptomoedas foram incluídas no pacote. A preocupação é de que bilionários russos e o governo se valham da criptomoedas para evitar o impacto financeiro.

Na segunda (7), o Tesouro dos Estados Unidos já havia pedido vigilância para empresas do setor dos Emirados Árabes, que receberam um número alto de pedidos para liquidação de bilhões de dólares nas últimas semanas.

“Nos comprometemos a tomar medidas para melhor detectar e interditar qualquer atividade ilícita, e vamos impor custos aos russos que ilicitamente usam ativos digitais para elevar e transferir suas riquezas, conforme nossos processos nacionais”, diz o comunicado conjunto.

Apesar dos esforços da Casa Branca e dos países do G7, especialistas acham improvável o uso das criptomoedas pelo governo russo para a evasão de sanções. Jake Chervinsky, diretor da Blockchain Association nos Estados Unidos, afirmou que as capacidades atuais do mercado de criptomoedas são “muito pequenas, caras e transparentes para serem úteis para a economia russa”.

Compartilhe esta publicação: