As 10 mulheres self-made mais ricas do mundo em 2022

Menos de 4% dos bilionários do planeta são mulheres que fizeram suas fortunas sozinhas.

Gigi Zamora
Compartilhe esta publicação:
Foto: Tim P. Whitby/Getty Images, Guerin Blask/Forbes, Ritam Banerjee/Forbes
Foto: Tim P. Whitby/Getty Images, Guerin Blask/Forbes, Ritam Banerjee/Forbes

Bilionárias que conquistaram fortunas por conta própria representam menos de 4% do total de bilionários do mundo

Acessibilidade


Dos 2.668 bilionários do mundo, apenas 327 são mulheres – e a maioria delas herdou a riqueza. Mas 101 mulheres, incluindo 11 que compartilham o dinheiro com o cônjuge, fizeram isso sozinhas.

Essas mulheres self-made valem um total de US$ 331 bilhões (R$ 1,5 trilhão), e ficaram ricas por diversos setores, desde petroquímica e telhados até cassinos e pizza do Little Caesar.

LEIA MAIS: Quem são as 8 brasileiras na lista dos mais ricos do mundo

Foi um ano de queda para os bilionários em geral, com 87 rostos a menos na lista de bilionários do mundo da Forbes em 2022. O número de mulheres que se fizeram sozinhas caiu também, em 7, graças, em parte, a saídas notáveis, ​​como a cofundadora do Bumble, Whitney Wolfe Herd, e a magnata chinesa do vaping Kate Wang, ambas recém-chegadas no ano passado.

Existem 45 mulheres da China que fizeram a própria fortuna (em comparação com um recorde de 57 no ano passado) – incluindo a incorporadora imobiliária Chan Laiwa e as magnatas do molho de soja Li Xuhui e Cheng Xue – mais do que em qualquer outro país do planeta. E algumas dessas mulheres viram suas fortunas aumentarem mais de 50% devido ao aumento dos preços das ações. Um aumento de 79% no preço das ações do negócio de semicondutores da Qiu Minxiu, Zhejiang Jingsheng Mechanical & Electrical, eleva sua fortuna a US$ 2,5 bilhões (R$ 11,8 bilhões), US$ 1,2 bilhão a mais do que no ano passado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A China também lançou 3 novas bilionárias este ano. Uma delas é Lu Yiwen, cofundadora da Darry Ring. A empresa, que abriu o capital em dezembro, afirma que limita os clientes a apenas um anel de noivado em sua vida porque “o verdadeiro amor é eterno”. Miranda Qu, cofundadora do site de comércio eletrônico Xiaohongshu (Little Red Book), também é nova. A loja de Qu, que colaborou com grandes nomes como L’Oreal, foi descrita como uma mistura entre Instagram e Amazon.

Em segundo lugar, atrás da China, estão os Estados Unidos, com 24 bilionárias que se fizeram sozinhas. A fortuna da imigrante turca Eren Ozmen aumentou em mais de um bilhão de dólares este ano, depois que a empresa aeroespacial Sierra Nevada Corp. recebeu uma avaliação de US$ 4,5 bilhões (R$ 21,3 bilhões). Kim Kardashian, por sua vez, está US$ 800 milhões (R$ 3,8 bilhões) mais rica este ano depois que sua empresa de cintas modeladoras, a Skims, atingiu uma avaliação de US$ 3,2 bilhões (R$ 15,2 bilhões).

Falguni Nayar é agora a mulher mais rica da Índia, com um patrimônio estimado em US$ 4,5 bilhões (R$ 21,3 bilhões), graças ao sucesso de sua varejista de moda e beleza Nykaa, que abriu seu capital em novembro. Outras notáveis ​​recém-chegadas à lista incluem Rihanna, cuja participação na empresa de cosméticos Fenty Beauty a tornou a primeira bilionária de Barbados e a cofundadora e CEO do aplicativo Canva, Melanie Perkins, a bilionária mais jovem da Austrália; a filipina Betty Ang, que fez fortuna com macarrão instantâneo e sua empresa de alimentos Monde Nissin; e a sul-coreana Yoo Jung-hyun, cofundadora e dona de 14% da maior empresa de videogames da Coreia, a Nexon.

Essas mulheres self-made variam de Alice Schwartz, de 95 anos, que fundou a Bio-Rad Laboratories com seu falecido marido David, em 1952, a Perkins e Rihanna, ambas com 34 anos. Enquanto ainda há muito trabalho a ser feito para igualar o jogo – apenas 30% das mulheres bilionárias são self-made –, essas pioneiras estão abrindo o caminho.

Veja abaixo as 10 mulheres self-made mais ricas do mundo.

1. Fan Hongwei

Patrimônio líquido: US$ 18,2 bilhões (R$ 86,4 bilhões)
Fonte da riqueza: Petroquímica
País: China
Fan Hongwei, a 13ª mulher mais rica do mundo, preside a Hengli Petrochemical, uma empresa de refinaria de petróleo e fibra química na China. A fortuna de Fan não mudou em relação a um ano atrás.

2. Rafaela Aponte

Patrimônio líquido: US$ 16,8 bilhões* (R$ 79,8 bilhões)
Fonte da riqueza: Contêineres
País: Suíça
Rafaela e seu marido, Gianluigi, fundaram a Mediterranean Shipping Company em 1970. Atualmente, possui 600 navios em 155 países e é a maior companhia de navegação do mundo. A fortuna do casal aumentou cerca de US$ 6,1 bilhões este ano, já que os problemas globais da cadeia de suprimentos aumentaram os lucros das empresas de contêineres.

3. Wu Yajun

Patrimônio líquido: US$ 15,3 bilhões (R$ 72,6 bilhões)
Fonte da riqueza: Imóveis
País: China
Ex-jornalista, Wu Yajun cofundou a incorporadora imobiliária Longfor Properties com seu agora ex-marido, em 1993. A empresa listada em Hong Kong é conhecida por seus 61 shopping centers na China. Em 2018, ela transferiu uma participação de 44% para sua filha, Cai Xinyi.

4. Diane Hendricks

Patrimônio líquido: US$ 10,7 bilhões (R$ 50,8 bilhões)
Fonte da riqueza: Construção
País: Estados Unidos
A mulher mais rica da América, Hendricks preside a ABC Supply, a maior distribuidora de materiais para telhados nos Estados Unidos. Hendricks, que cofundou o negócio com seu falecido marido em 1982, aumentou a empresa de três locais para 811 e gerou receita anual superior a US$ 12 bilhões.

5. Judy Love

Patrimônio líquido: US$ 9,7 bilhões* (R$ 46 bilhões)
Fonte da riqueza: Varejo e gás
País: Estados Unidos
Outro casal poderoso, Judy e Tom Love fundaram a Love’s Travel Stops & Country, rede de lojas de conveniência em postos de gasolina, em 1964. Judy manteve os livros e ainda atua como secretária executiva da empresa, que tem mais de 550 locais em 41 estados e 32.000 funcionários.

6.Wang Laichun

Patrimônio líquido: US$ 9,5 bilhões (R$ 45,1 bilhões)
Fonte da riqueza: componentes eletrônicos
País: China
Ela é presidente e cofundadora da Luxshare Precision Industry, uma empresa de fabricação de cabos e conectores na China. Um de seus clientes mais notáveis é a Apple. Luxshare fornece cabos conectores para iPhone e fabrica AirPods. Wang iniciou o negócio com seu irmão em 2004 e abriu seu capital na Bolsa de Valores de Shenzen em 2010.

7. Zhong Huijuan

Patrimônio líquido: US$ 8,1 bilhões (R$ 38,4 bilhões)
Fonte da riqueza: Farmacêutica
País: China
Ex-professora de química, ela fundou a farmacêutica Hansoh Pharmaceuticals, listada em Hong Kong, em 2015. Ela preside a empresa e possui mais de três quartos de suas ações – que caíram 50% no ano passado – com sua filha, Sun Yuan .

8. Lynda Resnick

Patrimônio líquido: US$ 8 bilhões* (R$ 38 bilhões)
Fonte da riqueza: Agricultura e água
País: Estados Unidos
Resnick é vice-presidente da Wonderful Company, o grupo por trás de produtos alimentícios populares como Wonderful Pistachios, Pom Wonderful e Fiji Water. Ela e seu marido Stewart fundaram o negócio no final dos anos 1970. Resnick supervisiona o marketing e o desenvolvimento de produtos; ela ganhou um Gold Effie Award por seu anúncio da Teleflora, “Flowers in a Gift”.

9. Zhou Qunfei

Patrimônio líquido: US$ 7,1 bilhões (R$ 33,7 bilhões)
Fonte da riqueza: telas de smartphones
País: Hong Kong, China
A ex-funcionário de fábrica é fundadora e CEO da Lens Technology, que fornece telas de smartphones para grandes marcas como Samsung, LG e Microsoft. Em 2015, ela era a mulher mais rica do mundo, depois de um IPO bem-sucedido que quintuplicou o preço das ações. Mas Qunfei perdeu mais da metade de sua riqueza no ano passado, já que as ações da Lens Technology caíram 54% desde março de 2021, em meio a preocupações de desempenho de analistas devido a resultados de lucro líquido ruins.

10. Judy Faulkner

Patrimônio líquido: US$ 7 bilhões (R$ 33,2 bilhões)
Fonte da riqueza: TI em saúde
País: Estados Unidos
O software Epic de Faulkner é usado pelos principais hospitais e outros clientes, que o utilizam para registrar informações médicas de mais de 225 milhões de pacientes. Ela fundou a Epic em um porão em 1979.

* Compartilha fortuna com um cônjuge

Compartilhe esta publicação: