XP vê ações brasileiras atrativas, eleva projeção do Ibovespa a 130 mil pontos em 2022

Nesse cenário, o principal índice da bolsa se aproximaria de seu fechamento recorde.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

Com nova projeção, XP aproxima Ibovespa de seu fechamento recorde

Acessibilidade


A XP elevou o preço-alvo do Ibovespa para o fim de 2022 de 123 mil pontos para 130 mil pontos, prevendo que o fluxo externo positivo seguirá forte nos próximos meses.

Nesse cenário, o principal índice da bolsa brasileira se aproximaria de seu fechamento recorde de 130.776,27 pontos, alcançado em 7 de junho do ano passado. Ontem (1), o Ibovespa subia 1%, a 121.200,38 pontos, às 15h09.

LEIA TAMBÉM: Erro em dados da B3 inflou em 42% volume de fluxo estrangeiro na Bolsa em 2022

Apesar de o Ibovespa ter subido 14,5% de janeiro a março, marcando o melhor trimestre desde o último quarto de 2020, a XP vê as ações brasileiras ainda em níveis atrativos, com a relação preço/lucro projetado em 7,5 vezes, ante média dos últimos 15 anos de 11,2 vezes, segundo relatório assinado por Fernando Ferreira, Jennie Li e Rebecca Nossig, datado de quinta-feira (31).

Por outro lado, ainda que os lucros projetados pelo mercado mostrem sinais claros de melhora e recuperação, a alta das taxas de juros reais seguem como fator negativo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Para ver um potencial de alta no valor justo do Ibovespa, precisaríamos de: estimativas de lucros de consenso subindo mais, e/ou expansão de múltiplos, que poderia vir de uma continuação do forte fluxo de capital externo, bem como de juros reais locais mais baixos”, segundo os analistas.

A XP destacou que, apesar da discrepância entre a disparada dos setores de commodities e bancos em 2022 e o avanço mais tímido de setores ligados à economia e consumo interno, “ainda achamos que é cedo para fazer uma migração total para os players domésticos”, diante de cenário macroeconômico desafiador.

O relatório também abordou a chamada inversão da curva de juros nos Estados Unidos, quando o rendimento dos papéis de curto prazo são mais altos do que os mais longos, o que é visto no mercado como possível sinal de recessão à frente, como já aconteceu outras vezes no passado.

Para os analistas, uma recessão causada por taxas mais altas do Federal Reserve, banco central norte-americano, que iniciou o ciclo de alta em março, “não seria necessariamente negativa” para o Brasil, já que em outros momentos de aperto monetário nos EUA as ações brasileiras superaram mercados globais. Eles também citaram que os preços das commodities devem continuar elevados.

A alta do Ibovespa em 2022, após tombo de 11,9% em 2021, é beneficiada por fatores incluindo a entrada de capital estrangeiro , valores de ações vistos como descontados e alta nos preços de commodities, segundo analistas.

Compartilhe esta publicação: