Índia aumenta taxa de juros em reunião inesperada

Compartilhe esta publicação:

Por Swati Bhat e Nupur Anand

Acessibilidade


MUMBAI (Reuters) – O banco central da Índia elevou sua principal taxa de juros ante mínima recorde, em uma ação inesperada nesta quarta-feira para conter a inflação, chocando os mercados e levando o rendimento dos títulos de referência de 10 anos para o nível mais altos em três anos.

O banco central da Índia aumentou a taxa de recompra – a taxa usada para empréstimos aos bancos – em 40 pontos base, para 4,40%, na primeira mudança em dois anos e a primeira alta em quase quatro anos.

A maioria dos analistas esperava um aumento dos juros na próxima reunião do Comitê de Política Monetária do banco em junho, e os mercados foram pegos de surpresa por não saberem que haveria reunião fora do calendário.

“O comitê observou que a atividade econômica doméstica está progredindo amplamente em linha com o que era esperado em abril”, disse o presidente do banco central, Shaktikant, em discurso online.

“Ao mesmo tempo, o comitê julgou que as perspectivas de inflação justificam uma resposta apropriada e oportuna através de medidas firmes e calibradas para assegurar que os efeitos secundários dos choques do lado da oferta na economia sejam contidos e que as expectativas de inflação a longo prazo sejam mantidas firmemente ancoradas”, acrescentou ele.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O banco central também aumentou a taxa de reserva de caixa dos bancos, ou a proporção de depósitos que os bancos precisam reservar com o banco dinheiro em dinheiro, em 50 pontos-base, para 4,50% a partir de 21 de maio.

O rendimento dos títulos de referência da Índia de 10 anos saltou para 7,42%, máxima desde maio de 2019, logo após a decisão, enquanto a rupia se fortaleceu em relação ao dólar, chegando a 76,21.

O rendimento de 10 anos fechou em 7,38%, enquanto a rupia ficou em 76,4125 por dólar.

Compartilhe esta publicação: