Ibovespa retoma os 100 mil pontos antes da decisão do Fed

Bolsa brasileira acompanha bom humor de Nova York e repercute balanços internos.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa abriu em alta hoje (27), com subida de 0,36%, de volta aos 100.132 pontos. A Bolsa brasileira acompanha o bom humor dos mercados internacionais em dia de decisão de política monetária pelo Federal Reserve (banco central dos EUA).

O mercado indica que a aversão a risco ficou nas negociações de ontem (26) e para hoje o dia é de recuperação, visto que o aumento de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros dos EUA já está precificado.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Nesta quarta, se concretizado o aumento de 0,75% pelo Fed, os juros dos EUA voltam para uma faixa entre 2,25% e 2,50%, o patamar mais alto desde dezembro de 2018. Será uma dobradinha de aumentos de 0,75 p.p. que não existe registro recente de ter acontecido anteriormente.

O mercado também espera a indicação do Fed em relação aos próximos aumentos do ano. Para setembro, analistas se dividem entre uma elevação de 0,50 p.p. ou 0,25 p.p.. Até o fim de 2022, a expectativa gira em torno de uma faixa de 3,25% a 3,5% – a mais alta desde 2008.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Enquanto a decisão não chega, investidores repercutem a temporada de balanços dos EUA. A agenda de hoje reserva a divulgação de gigantes como Meta, Qualcomm, Boeing, Airbus, Ford, Spotify e Credit Suisse.

Às 10h00 (horário de Brasília), os futuros de Nova York registravam avanços. O Dow Jones subia 0,52%, o S&P 500 tinha alta de 0,95% e o Nasdaq ganhava 1,55%.

Na Europa, investidores também aguardam a divulgação do juros pelo Fed e repercutem seus próprios balanços. No mesmo horário, Londres subia 0,73%; Frankfurt ganhava 0,70%; Paris tinha alta de 0,55%; Madrid avançava 0,74% e o índice pan-europeu Stoxx 600 subia 0,55%.

Por aqui, o Ibovespa acompanha o ritmo de Wall Street e avalia os balanços das empresas nacionais. Antes da abertura, Klabin (KLBN3) divulgou os seus números.

A companhia de papel e celulose registrou um avanço de 35% no lucro líquido do segundo trimestre, quando comparado com o mesmo período de 2021. Entre abril e junho, a soma chegou a R$ 972 milhões.

O lucro operacional, medido pelo Ebitda ajustado, foi de R$ 1,99 bilhão, valor 11% superior na comparação anual. Já a receita líquida atingiu R$ 5,04 bilhões, avanço de 24% em um ano.

Logo após o leilão de abertura, as units da Klabin (KLBN11) registravam alta de 1,63% no Ibovespa, cotadas a R$ 18,75.

Para depois do fechamento está prevista a divulgação de Suzano (SUZN3), Assaí (ASAI3), EDP (ENBR3) e Pão de Açúcar (PCAR3).

O dólar comercial opera em queda hoje, com recuo de 0,56% às 10h05, negociado a R$ 5,32.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: