Ibovespa reverte queda e fecha estável; Locaweb (LWSA3) sobe 15%

Ações da Weg (WEGE3) lideraram as maiores baixas do dia após balanço mostrar redução do lucro no 2º trimestre

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa encerrou o pregão de hoje (20) praticamente estável, com variação positiva de  0,04%, aos 98.287 pontos. O principal índice da Bolsa brasileira foi pressionado ao longo do dia pela queda de 2,34% da Vale (VALE3), companhia que tem o maior peso na carteira teórica do índice, mas se recuperou nos minutos finais do pregão.

A desvalorização dos papéis da siderúrgica, que encerram o dia negociados a R$ 67,39, acontece após a companhia reduzir o guidance para produção de minério de ferro e cobre em 2022. Segundo a Vale, a projeção para o minério foi reduzida de 320 milhões a 355 milhões de toneladas para 310 milhões a 320 milhões de toneladas. 

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Entre as maiores quedas do dia também estão as ações de Weg (WEGE3), que reportou baixa de 19,5% no lucro líquido do 2º trimestre, com as margens operacionais ainda sob pressão por causa de gargalos na cadeia de suprimentos.

Em seguida estão os papéis de Hypera (HYPE3), Raia Drogasil (RADL3) e Suzano (SUZB3), que recuaram 3,64%, 3,34%, 3,07% e 1,89%, respectivamente. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Já do lado positivo, os papéis da Locaweb (LWSA3) foram destaques entre as maiores altas do dia, com valorização de 17,28%, negociados a R$ 6,78. 

Segundo Idean Alves, sócio e chefe da mesa de operações da Ação Brasil, a valorização ocorreu após divulgação da prévia do balanço do segundo trimestre da companhia, que trouxe projeções positivas para o negócio. 

Via (VIIA3), Magalu (MGLU3), Petz (PETZ3) e CVC (CVCB3) também aparecem entre as maiores altas, com avanços de 12,99%, 10,04%, 9,64% e 7,18%, respectivamente. 

Por aqui, a divulgação dos balanços de empresas nos próximos dias está no radar dos investidores. A temporada de resultados do segundo trimestre deste ano pode ser um gatilho não só para o investidor doméstico, mas também para o estrangeiro. 

“Caso os balanços venham abaixo das expectativas, indicará um cenário de possível desaceleração econômica. Com isso, o mercado vai tentar se antecipar ao pior, o que vai impactar negativamente o preço da maior parte das ações listadas”, diz Alves. 

Cenário internacional

Os índices europeus caíram nesta quarta-feira sob o peso de uma inflação elevada, a guerra entre Rússia e Ucrânia e diante das perspectivas de mais um aperto monetário nos Estados Unidos – o Banco Central Europeu se reúne amanhã para discutir se haverá reajuste na taxa básica de juros do bloco, que segue zerada. 

De acordo com o chefe da mesa de operações da Ação Brasil, com uma recessão global “contratada”, a Europa pode ser a primeira a mostrar uma contração econômica — o que já pressiona as bolsas.

Em Wall Street, os índices foram impulsionados pelos resultados positivos do balanço da Netflix, divulgado ontem (19) após o fim das negociações, e fecharam o dia em alta. O Dow Jones avançou 0,29%, a 31.923 pontos, o S&P 500 caiu 0,74%, aos 3.965 pontos, e o Nasdaq recuou 1,70%, a 11.911 pontos. 

O dólar encerrou o pregão em alta de 0,71% frente ao real, a R$ 5,4607, reflexo da busca por segurança por parte dos investidores.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: