Os jogadores de golfe mais bem pagos do mundo em 2022

O LIV Golf, campeonato sediado na Arábia Saudita, aumentou os ganhos dos dez melhores golfistas em cerca de US$ 370 milhões desde junho

Justin Birnbaum
Compartilhe esta publicação:

Forbes

Acessibilidade


O campeonato LIV Golf, que pertence ao fundo soberano de US$ 620 bilhões (R$ 3,2 trilhões) da Arábia Saudita, tem muitas coisas. Ele é mais rápido que o PGA Tour, com um formato de 54 buracos (“LIV” em algarismos romanos) jogado ao longo de três dias. É mais alto, com música estridente antes do começo das partidas. É menos frequente, com um sexto do número de eventos. Mas, principalmente, movimenta mais dinheiro.

O governo da Arábia Saudita está injetando cerca de US$ 2,4 bilhões (R$ 12,42 bilhões) no LIV nas próximas duas temporadas para fazer a liga decolar e atrair os melhores talentos.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O LIV aumentou os ganhos dos dez golfistas mais bem pagos em cerca de US$ 370 milhões (R$ 1,9 bilhão) desde maio, elevando seu total combinado para um recorde de US$ 650 milhões (R$ 3,3 bilhões) nos últimos 12 meses.

“Eu queria fazer parte de algo desde o início”, diz Bryson DeChambeau, que venceu o US Open em 2020 aos 27 anos e ingressou no LIV em junho. “Os recursos, o tempo, o descanso e o fator diversão foram o motivo pelo qual consegui dar esse salto e quis dar esse salto.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Claro. Mas provavelmente ajuda o fato de ele provavelmente receber US$ 125 milhões como garantia da LIV, metade dos quais a Forbes estima que ele recebeu antecipadamente.

Esse pagamento de US$ 62 milhões levou DeChambeau ao terceiro lugar entre os golfistas mais bem pagos do mundo, com ganhos totais antes dos impostos de US$ 86 milhões nos últimos 12 meses – e o classificou como o 11º atleta mais bem pago do planeta, à frente de Tom Brady.

A desvantagem? Sem mais PGA Tour, sem mais Players Championships e sem mais competição internacional na Ryder Cup. Como todos os outros desertores do PGA Tour, DeChambeau teve sua associação suspensa. Mas os golfistas apoiados pela Arábia Saudita ainda devem poder competir no Masters e nos outros três majors de golfe, nenhum administrado pelo PGA Tour.

O bicampeão Dustin Johnson, que terminou empatado em sexto no British Open em St. Andrews este mês, foi ainda melhor que DeChambeau.

O profissional de 38 anos da Carolina do Sul, casado com a filha de Wayne Gretzky, Paulina, embolsou US$ 97 milhões no ano passado, incluindo um bônus de assinatura estimado de US$ 62 milhões da LIV em maio.

O dinheiro saudita faz de Johnson o quinto atleta mais bem pago do mundo. Foi uma escolha fácil, diz ele: “Jogue menos golfe, jogue por mais dinheiro – simplesmente fazia sentido”.

Leia mais: Veja quem são os 50 atletas mais bem pagos do mundo

O maior vencedor de todos? Phil Mickelson. Com seis majors e 45 vitórias no PGA Tour em seu currículo, o segundo golfista mais bem sucedido de sua geração foi um dos primeiros a dar voz de apoio ao novo tour.

Em fevereiro, ele foi difamado (e fez uma pausa subsequente no jogo) depois de parecer descartar o histórico de direitos humanos da Arábia Saudita em troca de uma “oportunidade única na vida de reformular a forma como o PGA Tour opera”. Vários patrocinadores o abandonaram.

Mas ele se importa? O LIV mais do que o compensou, garantindo a Mickelson cerca de US$ 200 milhões, metade dos quais ele provavelmente recebeu antecipadamente. Ao todo, o jogador de 52 anos arrecadou US$ 138 milhões no ano passado, tornando-o o atleta mais bem pago do mundo em 2022, superando o astro do futebol Lionel Messi (US$ 130 milhões).

Existem riscos. O LIV Golf não tem um grande parceiro de transmissão nos EUA e quase nenhum patrocinador de eventos. Os LIV-curiosos são obrigados a assistir no YouTube. E a turnê está incinerando dinheiro.

Há receitas limitadas e, além dos enormes bônus de assinatura e orçamentos de produção multimilionários por evento, a LIV garantiu US$ 255 milhões em prêmios em dinheiro para 2022.

Em 2023, isso se expandirá para US$ 405 milhões em 14 eventos. “Assim como qualquer startup, você tem uma taxa de queima, e se foi, diabos, Amazon ou Uber ou o que quer que seja, todos estão queimando certo dinheiro até atingir o ponto de lucratividade”, diz o presidente e ex-presidente da LIV Golf. Atul Khosla, executivo do Tampa Bay Buccaneers.

O PGA Tour não está parado. Em junho, aumentou as bolsas de prêmios de oito torneios em US$ 53,8 milhões, com o Players Championship subindo para US$ 25 milhões. Por outro lado, a linha dura do PGA Tour contra a permissão de seus membros para participar de eventos LIV desencadeou uma investigação antitruste do Departamento de Justiça.

Leia mais: Os atletas mais bem pagos do mundo ganharam quase R$ 15 bilhões no último ano

Um golfista que se recusa a jogar o jogo de LIV: Tiger Woods. O CEO da LIV Golf, Greg Norman, conhecido como o Grande Tubarão Branco durante sua carreira de jogador no Hall da Fama, disse ao Washington Post que Woods rejeitou uma oferta “enormemente enorme” nos “nove dígitos altos” da LIV.

Essa decisão derrubou Woods, que já foi o atleta mais bem pago do mundo por dez anos consecutivos, em território desconhecido – ele agora é apenas o quinto entre os golfistas mais bem pagos, com ganhos totais de US$ 68 milhões. Ele não tem arrependimentos.

“Eu simplesmente não entendo”, disse ele antes do Aberto da Grã-Bretanha. “Eu simplesmente não vejo como essa mudança é positiva a longo prazo para muitos desses jogadores.”

Confira a lista completa:

  • Forbes/KEYUR KHAMAR/GETTY IMAGES

    1º. Phil Mickelson
    Idade: 52
    Ganhos totais: US$ 138 milhões
    Em campo: US$ 102 milhões
    Fora de campo: US$ 36 milhões

  • CODY PICKENS/FORBES

    2º. Dustin Johnson
    Idade: 38
    Ganhos totais: US$ 97 milhões
    Em campo: US$ 68 milhões
    Fora de campo: US$ 29 milhões

  • CODY PICKENS/FORBES

    3º. Bryson DeChambeau
    Idade: 28
    Ganhos totais: US$ 86 milhões
    Em campo: US$ 66 milhões
    Fora de campo: US$ 20 milhões

  • CARMEN MANDATO/GETTY IMAGES

    4º. Brooks Koepka
    Idade: 32
    Ganhos totais: US$ 69 milhões
    Em campo: US$ 53 milhões
    Fora de campo: US$ 16 milhões

  • STUART FRANKLIN/R&A/GETTY IMAGES

    5º. Tiger Woods
    Idade: 46
    Ganhos totais: US$ 68 milhões
    Em campo: US$ 43,5 milhões
    Fora de campo: US$ 24,5 milhões

  • SAM GREENWOOD / GETTY IMAGES

    6º. Rory McIlroy
    Idade: 33
    Ganhos totais: US$ 43 milhões
    Em campo: US$ 9 milhões
    Fora de campo: US$ 34 milhões

  • DAVID CANNON /GETTY IMAGES

    7º. Sergio Garcia
    Idade: 42
    Ganhos totais: US$ 42 milhões
    Em campo: US$ 35 milhões
    Fora de campo: US$ 7 milhões

  • JED JACOBSOHN /GETTY IMAGES

    8º. Jordan Spieth
    Idade: 29
    Ganhos totais: US$ 39 milhões
    Em campo: US$ 8 milhões
    Fora de campo: US$ 31 milhões

  • KEVIN C. COX / GETTY IMAGES

    9º. Patrick Reed
    Idade: 31
    Ganhos totais: US$ 37 milhões
    Em campo: US$ 34 milhões
    Fora de campo: US$ 3 milhões

  • CHRIS TROTMAN/LIV GOLF

    10º. Charl Schwartzel
    Idade: 37
    Ganhos totais: US$ 34 milhões
    Em campo: US$ 30 milhões
    Fora de campo: US$ 4 milhões

Forbes/KEYUR KHAMAR/GETTY IMAGES

1º. Phil Mickelson
Idade: 52
Ganhos totais: US$ 138 milhões
Em campo: US$ 102 milhões
Fora de campo: US$ 36 milhões

Metodologia

A lista deste ano dos golfistas mais bem pagos do mundo acompanha os ganhos entre 3 de julho de 2021 e 3 de julho de 2022, para coincidir com a conclusão do John Deere Classic do PGA Tour e do Portland Invitational do LIV Golf.

Compartilhe esta publicação: