Vendas no varejo nos EUA superaram expectativas em junho

Resultado acontece à medida que consumidores compraram veículos motorizados, mesmo pagando mais pela gasolina

Reuters
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/ Mark Makela
REUTERS/ Mark Makela

Vendas no varejo dos EUA aumentaram 1% em junho

Acessibilidade


As vendas no varejo nos Estados Unidos aumentaram mais do que o esperado em junho, à medida que os consumidores compraram veículos motorizados e uma gama de outros produtos, mesmo pagando mais pela gasolina.

As vendas no varejo aumentaram 1,0% no mês passado, disse o Departamento de Comércio hoje (15). Os dados de maio foram revisados para mostrar que as vendas caíram 0,1%, em vez da queda de 0,3% informada anteriormente.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Economistas consultados pela Reuters projetavam que as vendas no varejo aumentariam 0,8%, com estimativas variando de uma queda de 0,2% até uma alta de 2,2%. As vendas no varejo são compostas principalmente por bens, e não são ajustadas pela inflação.

Os preços ao consumidor nos EUA subiram 9,1% em junho na base anual, o maior aumento desde novembro de 1981, colocando o Federal Reserve no caminho certo para entregar outro aumento de 0,75 ponto percentual na taxa de juros no final deste mês. Desde março, o banco central dos EUA elevou os juros em 1,50 ponto.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os preços da gasolina subiram em junho, chegando a uma média de mais US$ 5 por galão, de acordo com dados da Associação Automobilística Americana (AAA). Mas diminuíram desde então em relação aos picos recordes do mês passado e estavam em média em US$ 4,577 por galão nesta sexta-feira.

As vendas no varejo também tiveram impulso das compras de veículos automotores depois de terem sido pressionadas por uma escassez.

Excluindo automóveis, gasolina, materiais de construção e serviços de alimentação, as vendas no varejo subiram 0,8% em junho. Os dados de maio foram revisados para mostrar que essas vendas caíram 0,3%, e não que ficaram inalteradas como relatado anteriormente.

O núcleo das vendas no varejo corresponde mais estreitamente ao componente de consumo do Produto Interno Bruto.

Compartilhe esta publicação: