Startup francesa usa peles de peixe para mercado de luxo da moda

No caso do salmão, por exemplo, material é elástico, delicado e resistente

Redação
Compartilhe esta publicação:
Yonhap/ Reuters
Yonhap/ Reuters

Uma startup francesa está coletando peles de peixe de latas de lixo e fazendo couro

Acessibilidade


Uma empresa francesa está coletando peles de peixe que acabariam em latas de lixo de restaurantes e transformando-as em couro para usar em pulseiras de relógios e carteiras e vendê-las no mercado de luxo.

Transformar pele de peixe em couro é uma arte milenar que está sendo retomada – impulsionada por suas credenciais ecológicas – mas ainda não atingiu a indústria da moda.

LEIA MAIS: LVMH converte fábricas de fragrâncias em instalações de produção de álcool gel

Três amigos, que se conheceram quando estudavam engenharia química perto de Paris e aprenderam sozinhos o processo, estão tentando mudar isso.

“A pele de salmão tem elasticidade e delicadeza, tem menos de meio milímetro de espessura, mas com uma resistência que é quase equivalente ao couro de vaca”, disse Benjamin Malatrait, um dos três amigos, que fundou uma empresa chamada Ictyos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Visualmente é bastante exótico”, acrescentou ele, na oficina de sua empresa perto da cidade francesa de Lyon.

A empresa recebeu um período de seis meses dentro de uma incubadora de startup administrada pela gigante da moda global com sede em Paris, LVMH, dona de marcas como Louis Vuitton e Christian Dior.

Malatrait disse que a Ictyos está trabalhando com 250 clientes – grandes marcas e produtores artesanais – que testam os produtos para uso em pulseiras de relógios, bolsas e roupas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: