Alemanha, França e Holanda querem mais voz sobre aquisições feitas por gigantes da internet

Empresas como Google, Facebook, Amazon e Apple têm recebido críticas por anunciarem aquisições de rivais para então fechá-los.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Paresh Dave/Reuters
Paresh Dave/Reuters

Empresas como Google, Facebook, Amazon e Apple têm recebido críticas por anunciarem aquisições de rivais para então fechá-los

Acessibilidade


Esboços de regras direcionadas a Google, Facebook, Amazon e Apple devem ser reforçados para permitir que reguladores examinem as aquisições de rivais, disseram Alemanha, França e Holanda hoje (27).

A declaração conjunta do ministro da Economia alemão, Peter Altmaier, seu colega francês, Bruno Le Maire, e a ministra holandesa de Assuntos Econômicos, Mona Keijzer, veio enquanto países da UE (União Europeia) se preparam para debater as regras propostas pela Comissão Europeia.

LEIA TAMBÉM: 5 dicas para turbinar a experiência do cliente e incrementar os negócios
5 dicas para turbinar a experiência do cliente e incrementar os negócios

Gigantes da tecnologia têm recebido críticas por anunciarem aquisições de rivais para então fechá-los.

Os reguladores devem usar a proposta da DMA (Digital Markets Act) para resolver este problema, disseram os ministros.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Em primeiro lugar, estabelecer limites claros e legalmente certos para aquisições de alvos com volume de negócios relativamente baixo, mas de alto valor”, disseram eles.

“Em segundo lugar, adaptar o teste para tratar efetivamente de casos de aquisições potencialmente predatórias.” Eles disseram que as regras propostas devem permitir aos países da UE uma margem de manobra para lidar com comportamento anticompetitivo. O projeto pode entrar em vigor no próximo ano, uma vez que a Comissão, os países e os parlamentares da UE tenham elaborado uma posição comum.

A França também quer que a União Europeia endureça as regras sobre conteúdo ilegal, obrigando as empresas de tecnologia a entregarem sistematicamente o conteúdo ilegal removido ou bloqueado de seus sites para as autoridades.

A França propôs que os serviços de hospedagem online sejam obrigados a armazenarem conteúdo ilegal nos últimos seis meses e transferi-lo às autoridades policiais no país em questão, de acordo com os rascunhos de suas emendas vistos pela Reuters. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: