Google adia função de bloqueio de cookies no Chrome até fim de 2023

SOPA Images / Getty Images
SOPA Images / Getty Images

O gigante da internet diz estar trabalhando com a indústria de publicidade para substituir os recursos de rastreamento de cookies enquanto protege a privacidade online

O navegador de internet do Google, Chrome, não receberá recurso de bloqueio de cookies até o final de 2023, afirmou a Alphabet hoje (24), em um anúncio que adia em quase dois anos uma decisão que tem atraído preocupações de autoridades de defesa da concorrência e competidores.

O Google tinha informado que pretendia bloquear os cookies de empresas de publicidade que coletam dados de navegação dos usuários a partir de janeiro de 2022. Mas rivais acusaram a companhia de ter intenção de obter uma participação de mercado maior em publicidade digital.

LEIA MAIS: Google vai usar chips da AMD em serviços de computação em nuvem

Depois de uma investigação, a CMA (Autoridade de Competição e Mercados do Reino Unido) fez acordo neste mês com o Google para supervisionar as mudanças no Chrome. O Google afirmou que a nova diretriz de lançamento do recurso de bloqueio de cookies veio em linha com o acordo.

“Precisamos agir em um ritmo responsável, permitindo tempo suficiente para discussão pública sobre as soluções corretas para anunciantes e para a indústria de publicidade migrarem seus serviços”, disse Vinay Goel, diretor de engenharia de privacidade para o Chrome em comunicado.

Representantes da CMA não puderam ser contatados de imediato para comentar o assunto hoje (24).

O Google está trabalhando com a indústria de publicidade sobre tecnologias que possam substituir os recursos de rastreamento dos cookies enquanto protegem melhor a privacidade online.

A empresa agora pretende escolher as novas tecnologias até o final do próximo ano, fazer os testes finais e então gradualmente ir retirando os cookies de rastreamento a partir de meados de 2023, se a CMA aceitar. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).