Fake news na invasão da Ucrânia: como saber se fotos e vídeos são reais?

Imagens de outros conflitos e períodos históricos diferentes estão sendo compartilhados erroneamente nas redes sociais.

Kate O'Flaherty
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Um bombeiro ucraniano caminha entre fragmentos de uma aeronave derrubada vista em Kiev, Ucrânia, no dia 25 de fevereiro

Acessibilidade


A desinformação em torno da crise Rússia-Ucrânia é abundante. Você não precisa procurar muito para encontrar fotos e vídeos falsos que retratam o conflito, especialmente nas mídias sociais. Mas organizações de imprensa, jornalistas investigativos e verificadores de fatos estão revidando, com ferramentas para ajudá-lo a decifrar o que é real e o que é fake news nessa invasão da Ucrânia. Veja como:

Verifique a fonte

Em uma época em que muitas pessoas recorrem às redes sociais para obter notícias, nunca foi tão importante verificar suas fontes. É uma organização de notícias respeitável? Você pode encontrar as mesmas imagens em outro lugar acompanhadas por uma descrição semelhante? Nesse caso, é mais do que provável que a imagem ou o vídeo seja real. 

VEJA TAMBÉM: Mundo do esporte rompe laços com times e patrocinadores russos

Pessoas também podem ter credibilidade quando o assunto é a crise Rússia-Ucrânia – você só precisa verificar suas credenciais. Alguém como Eliot Higgins é um ótimo exemplo. A organização de Higgins, Bellingcat, compilou uma planilha diretamente relacionada ao conflito Rússia-Ucrânia.

A conceituada organização de notícias Nieman Lab também preparou um artigo incluindo algumas fontes confiáveis ​para pessoas que desejam acompanhar a crise.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Saiba como reverter a pesquisa de imagens

Muitas das fotos e vídeos do conflito Rússia-Ucrânia postados nas redes sociais são falsos. As pessoas estão compartilhando vídeos de anos atrás ou, em alguns casos, de um conflito totalmente diferente. Há coisas que você pode verificar com os próprios olhos – por exemplo, se a imagem parece antiga. Nesse caso pode ser fake.

Outra maneira confiável de verificar quando a mídia foi postada é reverter a pesquisa de imagens. A organização sem fins lucrativos The News Literacy Project oferece um tutorial em vídeo sobre como fazer isso

É fácil. Você pode fazer uma pesquisa reversa de imagens via Google clicando em Imagens no canto superior direito da plataforma. Clique no ícone da câmera na barra de pesquisa e há duas maneiras de pesquisar: pela URL da imagem ou pelo arquivo que você deseja pesquisar.

Usando o URL da imagem, clique com o botão direito na imagem e escolha “Copiar endereço da imagem”. Cole-o em “Pesquisar por imagem” no Google e ele procurará a imagem em toda a web.

VEJA TAMBÉM: Bilionários russos pedem fim de guerra na Ucrânia

Você também pode pesquisar no Google via Upload: Salve a imagem em seu computador e navegue até essa pasta, selecione o arquivo e o Google fará uma pesquisa de imagem reversa. 

Dê uma olhada nos resultados e tenha em mente que o resultado inicial do Google não é necessariamente algo em que você pode confiar. Mas se você observar as “imagens visualmente semelhantes”, poderá ver se a foto aparece em um site respeitável, como uma grande fonte de notícias ou o site de uma organização de checagem de fatos. 

Para ter mais certeza, você pode comparar sua pesquisa do Google com outras ferramentas de pesquisa de imagens, como o TinEye.

O que você pode fazer para combater às fake news relacionadas à crise Rússia-Ucrânia

Cada pessoa tem a responsabilidade de ajudar a prevenir e combater a desinformação. Você pode fazer parte disso compartilhando materiais como este texto, que ensina como desmascarar imagens e vídeos falsos. Além disso, verifique todas as suas fontes – nunca divulgue nada nas mídias sociais que você não possa provar que é real. 

Seguir as pessoas certas no Twitter e em outras redes é um ótimo começo. Em seguida, certifique-se de verificar, verificar novamente e verificar novamente antes de compartilhar. Em caso de dúvida, não poste a imagem e sempre questione outras pessoas que não possam provar de onde vieram suas postagens.

Compartilhe esta publicação: