TikTok pode tirar a liderança do YouTube? Para o eMarketer, sim

A plataforma do Google, que predomina em vídeo há 15 anos, divide cada vez mais a atenção dos usuários e os criadores com a concorrência.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Reprodução

A criação do formato de vídeos curtos chamado de Shorts foi uma das estratégias do YouTube para competir com o TikTok

Acessibilidade


Um reinado que já dura 17 anos está ameaçado. É desta forma que a eMarketer, uma das principais consultorias de redes sociais, marketing e tecnologia do mundo, classifica a relevância do YouTube. Essa liderança, no entanto, está cada vez mais ameaçada por novas plataformas, entre elas, o TikTok, que atrai não só a audiência, mas também criadores de conteúdo.

“Mais de dois terços da população dos EUA e mais de três quartos dos usuários da internet visitaram o YouTube mensalmente em 2021. Além disso, todo mês, mais pessoas assistiram vídeos na plataforma no ano passado do que usaram o Facebook (225,8 milhões em comparação com 179,1 milhões, respectivamente). Mas o aumento na visualização de vídeos em outras plataformas sociais – principalmente TikTok – está consumindo o domínio do YouTube. Com mais locais exibindo vídeos, a atenção do usuário está começando a se dividir”, explica o relatório da eMarketer.

LEIA TAMBÉM: TikTok toma o lugar do Google e é o site mais visitado em 2021

Apesar do desafio, o eMarketer reforça que o crescimento do TikTok ainda não representa uma mudança completa da liderança do YouTube já que a plataforma de vídeos do Google ainda está à frente do TikTok no total de usuários e em todas as faixas. “O YouTube terá mais do dobro de usuários mensais do TikTok este ano (230,6 milhões em comparação com 90,6 milhões, respectivamente). Mais da metade das crianças de até 11 anos, essencialmente a Geração Alfa, usará o YouTube este ano, em comparação com apenas 4,6% no TikTok.”

Por geração, o YouTube terá quase o dobro da penetração do TikTok entre os millennials este ano, quase quatro vezes mais Geração X e cerca de oito vezes a penetração entre os Baby Boomers. “Entre os adolescentes americanos de 12 a 17 anos, 87,6% usarão o YouTube mensalmente este ano, enquanto 65,3% usarão o TikTok, de acordo com nossas previsões. A penetração do YouTube está atingindo um teto, enquanto a do TikTok ainda está crescendo rapidamente. O YouTube aumentará apenas 1,5 ponto percentual este ano em comparação com 2020, enquanto o TikTok aumentará mais de 13 pontos (de 51,7%). Em 2025, haverá 24,2 milhões de usuários do TikTok nos EUA com idades entre 18 e 24 anos e 26,6 milhões de usuários do YouTube nos EUA”, conclui o relatório.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: