Entenda três considerações sobre Vendor Risk Management

Lançar uma startup é arriscado, e conhecimentos em VRM, ou gerenciamento de risco do fornecedor, é fundamental para proteger o futuro do seu empreendimento.

Rhett Power
Compartilhe esta publicação:
Gary John Norman_Getty
Gary John Norman_Getty

Cuidados devem ser tomados como regra em um empreendimento

Acessibilidade


Lançar uma startup é arriscado, e as coisas só ficam mais arriscadas ao terceirizar serviços. A maioria dos líderes exigirá conhecimentos em Vendor Risk Management (VRM, ou gerenciamento de risco do fornecedor, na tradução livre) para dar a eles a confiança necessária para o sucesso.

“O lançamento de uma startup já é um empreendimento de alto risco e, infelizmente, serviços terceirizados trazem mais risco”, disse Todd Boehler, vice-presidente sênior de estratégia da ProcessUnity. “Mesmo os processos mais básicos de gerenciamento de risco do fornecedor podem beneficiar significativamente a longevidade de uma empresa.”

LEIA TAMBÉM: Startups ‘gigantes’ estarão no foco dos investidores em 2022

Mas a natureza exata desse VRM varia entre as startups. Por exemplo: as startups de fintech podem exigir programas imediatos de gerenciamento de risco do fornecedor para proteger o processamento de dados confidenciais e expandir os serviços terceirizados para suportar um desenvolvimento acelerado.

Embora muitas empresas estejam apenas começando, isso não significa que não possam identificar informações essenciais sobre seus fornecedores: o que fazem, o que podem acessar e como monitoram esse acesso para uso indevido ou abuso.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Essas informações podem deixar os clientes à vontade em relação a dados confidenciais. Em um momento de crescentes ameaças cibernéticas, a transparência e a vigilância ajudam muito a diferenciar uma startup de seus concorrentes. Manter um forte compromisso público com a segurança é um passo excelente na construção de defensores da marca.

Startups diferem das grandes empresas em relação ao VRM

As startups enfrentam desafios distintos e precisam de agilidade desde o início para integrar rapidamente os parceiros certos para apoiar seu crescimento. Eles também devem ser diligentes para garantir que os primeiros fornecedores sejam os corretos para suas necessidades. Grandes empresas podem facilmente enfrentar falhas com os fornecedores, mas as startups podem ser derrubadas ao optar por um fornecedor que evite importantes práticas de segurança ou coloque em risco a viabilidade da empresa.

Os primeiros fornecedores são um dos aspectos mais críticos do sucesso ou fracasso de uma empresa, mas é fácil ignorá-los. Normalmente, os fundadores estão focados em ter uma ideia inovadora, criar buzz sobre suas empresas ou procurar ângulos de marketing memoráveis ​​e divertidos. Tudo isso é ótimo, mas se você fizer parceria com o fornecedor errado desde o início, todo esse trabalho pode não valer nada.

Três coisas para pensar ao considerar o VRM:

1.Continue monitorando os fornecedores.

A diligência não deve parar na verificação adequada dos fornecedores antes da integração. É importante continuar monitorando as ações do fornecedor ao longo do tempo. As coisas geralmente mudam, seja em termos de seu ponto de contato na empresa fornecedora ou no gerenciamento de nível superior.

Além disso, analisando uma escala de longo prazo, você pode ter uma noção muito melhor do relacionamento do que simplesmente baseá-la nas primeiras semanas da parceria, quando os fornecedores provavelmente estarão em seu melhor comportamento.

2.Esteja preparado para as necessidades da equipe.

As startups também enfrentam o desafio de ter menos pessoas por trás dos processos de VRM. As grandes empresas provavelmente têm várias pessoas dedicadas a supervisionar todos os fornecedores, mas as startups geralmente são apenas alguns fundadores que estão sobrecarregados, cobrindo todas as bases para o lançamento e o período inicial de expansão.

Para empresas estabelecidas, mais força humana equivale a mais tempo para identificar fornecedores em seus ecossistemas, entender como eles contribuem e decidir quais são críticos e quem é responsável por cada relacionamento. Quando você gasta uma quantidade significativa de seus recursos humanos verificando e integrando fornecedores, isso geralmente diminui o valor do tempo de lançamento no mercado em relação a produtos ou serviços críticos. O truque é ganhar eficiência enquanto ainda mantém a devida diligência adequada para mitigação de riscos e conformidade com compliance.

3. Avalie bem o risco

Uma visão clara do risco envolvido com qualquer fornecedor é fundamental. O risco pode ser determinado com base na natureza do produto ou serviço do fornecedor. Informações críticas, como nível de acesso, histórico de incidentes e tipo de serviço, informam que tipo de riscos os fornecedores podem representar. As áreas de risco podem incluir segurança da informação, resiliência financeira, suborno ou corrupção, continuidade de negócios e outras.

Ao usar um bom processo de risco inerente, você pode determinar melhor os requisitos da devida diligência. Esse processo determinará os próximos passos, incluindo cláusulas contratuais apropriadas e requisitos de monitoramento ou até mesmo o término da parceria comercial.

Ao colocar a devida diligência no VRM, você pode ter certeza de que marcou uma opção crucial para proteger o futuro de sua startup. Apenas certifique-se de continuar marcando a cada mês enquanto continua a monitorar seus relacionamentos com fornecedores para dar à sua startup todas as chances de sucesso enquanto você se concentra nas partes divertidas do lançamento e do crescimento em estágio inicial. Você pode construir e desfrutar de parcerias frutíferas com os melhores fornecedores disponíveis. Mas esse sucesso só acontece com o VRM adequado, então não demore.

 

Compartilhe esta publicação: