Linhagem de luxo: conheça a história da Jimmy Choo

Em 21 anos, a marca de sapatos de luxo Jimmy Choo cresceu de uma modesta startup londrina para uma grife global, vendida por US$ 1,2 bilhão no mês passado.

VEJA TAMBÉM: Michael Kors compra Jimmy Choo por US$ 1,2 bilhão

Os números impressionam pelo curto um período de tempo para um salto tão grande, ainda que o sucesso da Jimmy Choo em muito tenha se dado graças à princesa Diana e à série “Sex and the City”.

Veja, na galeria de fotos abaixo, a bem-sucedida história da marca:

  • 1986
    Jimmy Choo, um sapateiro nascido na Malásia, abriu uma boutique de sapatos feitos por encomenda na região de East End de Londres para clientes privados, incluindo a princesa Diana.

    Reprodução/FORBES
  • 1996
    Com um empréstimo de £ 150 mil de seu pai, a ex-editora de acessórios da revista “Vogue” britânica Tamara Mellon se uniu a Choo, e a startup Jimmy Choo Ltd. foi lançada.

    Reprodução/FORBES
  • 1997
    Jimmy Choo abre sua primeira boutique na rua Motcomb, em Londres. No mesmo ano, Diana é fotografada no tapete vermelho com sapatos da marca. Em 1998, a primeira loja dos Estados Unidos é aberta em Nova York, onde os sapatos têm preço inicial de US$ 300 o par.

    Reprodução/FORBES
  • 2000
    Na terceira temporada da série de televisão “Sex and the City”, a personagem de Sarah Jessica Parker, Carrie Bradshaw, tem um momento de Cinderella enquanto corre na balsa de Staten Island e grita: “Eu perdi meu Choo!”.

    Reprodução/FORBES
  • 2001
    Choo vende sua metade da marca à Equinox Holdings, uma empresa de investimentos, por US$ 30 milhões. Tamara e sua codiretora criativa Sandra Choi, sobrinha de Choo, ficam com a empresa.

    Reprodução/FORBES
  • 2004
    Um ano após lançar uma linha de bolsas, a Jimmy Choo, que agora tem 23 lojas, é vendida para outra empresa de investimentos, a Lion Capital, por £ 101 milhões. Tamara permanece proprietária de uma pequena parte da empresa.

    Reprodução/FORBES
  • 2007
    Uma participação de 60% da Jimmy Choo, agora com 60 lojas, é vendida para a empresa de administração TowerBrook Capital por £ 185 milhões.

    Reprodução/FORBES
  • 2009
    No primeiro baile inaugural de seu marido, Michelle Obama usa um salto alto da marca, que agora está em exibição na instituição Smithsonian.

    Reprodução/FORBES
  • 2011
    Tendo expandido para as áreas de perfumes e óculos de sol, a Jimmy Choo é vendida novamente, desta vez para a empresa alemã de bens de luxo Labelux, por US$ 850 milhões. Em novembro, Tamara deixa a empresa.

    Reprodução/FORBES
  • 2014
    Com 177 lojas, em 34 países, Jimmy Choo se torna a primeira marca de sapatos de luxo a se tornar pública. Cerca de 25% da empresa é vendida em um IPO em Londres por US$ 2,24 a ação, o que lhe rendeu uma capitalização de mercado de cerca de US$ 870 milhões.

    Reprodução/FORBES
  • 2017
    Em julho, a Jimmy Choo é adquirida pela Michael Kors por US$ 1,2 bilhão. Sandra Choi planeja ficar com a empresa, cujos sapatos (que custam de US$ 425 a US$ 4.595 o par) são agora os preferidos da nora da princesa Diana, Kate Middleton.

    Reprodução/FORBES

1986
Jimmy Choo, um sapateiro nascido na Malásia, abriu uma boutique de sapatos feitos por encomenda na região de East End de Londres para clientes privados, incluindo a princesa Diana.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).