ME Dubai: o mais novo hotel de luxo da cidade abre em 1º de março

ReproduçãoForbes
ReproduçãoForbes

O fantástico hotel ficou em construção por oito anos

Depois de muita espera, o cinco estrelas ME Dubai passou finalmente a aceitar reservas a partir de 1º de março. O hotel de luxo do grupo espanhol Meliá fica no superlativo Opus Dubai, de 95 metros, projetado pela já falecida arquiteta Zaha Hadid.

Com suas duas enormes torres de vidro se erguendo em forma de cubo, a maravilha arquitetônica é uma verdadeira obra-prima do design. Em construção há oito anos, o fantástico cubo de aço, era a imagem sonhada por Hadid, nascida no Iraque.

VEJA TAMBÉM: Os melhores assentos de classe executiva do mundo

O Opus está localizado próximo ao Burj Khalifa, com vista para o famoso arranha-céu vizinho. As cores azul e cinza do exterior refletem a paisagem urbana do centro de Dubai. O Dubai Mall fica a cinco minutos e o hotel faz parte do distrito financeiro de Business Bay.

Os quartos, também projetados por Zaha, revelam uma paleta de cores inspirada na noite arábica e no deserto. Os preços, de acordo com o site oficial, começam em US$ 514. Com nomes como VIBE e AURA, os quartos de 47 a 54 metros quadrados são decorados com sistemas de som Bose, Wi-Fi e boxes para chuveiro transparentes, com quedas d’água torrenciais e banheiras. As suítes Supersized Passion, Personality e Chic possuem 98 metros quadrados. Os interiores passam sensação fluida e reconfortante, com toques de cores em tons madeira e branco e janelas do chão ao teto que se alimentam do horizonte de Dubai para oferecer uma vista marcante.

  • Noite iluminada

    O Opus, de 20 andares, brilha à noite como uma imensa camada de gelo polar iluminada por neon, com um cubo de gelo gigante no meio. “Ele assume a forma de um cubo pairando no chão, com um vazio no meio”, disse Zaha durante a construção. “Seu interior revestido com vidro duplo colorido permite vistas da parte interna e dos platôs externos, proporcionando áreas de lazer, recreação e descanso”.

    Durante o dia, as “estrias pixeladas” (padrões gráficos na fachada de vidro) são projetadas para modular a luz. Essa é uma medida ecológica prometida pelo Meliá, recentemente nomeado o grupo hoteleiro mais sustentável do mundo.

    ReproduçãoForbes
  • Obra de arte futurista

    O Opus lembra um cenário de “Star Trek”. Os interiores futuristas da nave espacial são acentuados com esculturas brancas suaves e paredes em favo de mel, materiais crus e uma paleta de aço branca minimalista. Para os proprietários do edifício, a Omniyat, trata-se de “uma obra de arte única”.

    A forma que inspirou o design e a “sensibilidade escultural” são uma espécie de trompe-l’œil arquitetônico, diz o CEO, Mahdi Amjad. “Ele reinventa o equilíbrio entre sólido e vazio, opaco e transparente, interior e exterior.”

    ReproduçãoForbes
  • Interiores esculturais

    Nos quartos e coberturas, os hóspedes também têm a garantia de curvas orgânicas, minimalismo e fluidez. Zaha imaginou “varandas esculturais, leitos angulares e superfícies fluidas” para sua construção.

    Reconhecido como o único hotel projetado pela grande arquiteta, a criação apresenta cerca de 100 quartos e suítes, 96 apartamentos com serviço, além de um spa e academia de 7.000 metros quadrados. Ademais, uma piscina deslumbrante e um deck molhado oferecem vistas estonteantes de Dubai.

    Depois de meses em segredo, muitos vislumbres dos quartos e espaços públicos começam a surgir à medida que a abertura do hotel se aproxima. O setor de alimentos e bebidas ainda é obscuro. Além do Central Cosmo Tapas & Bar, existem poucos detalhes sobre os restaurantes no site e ainda não há fotos.

    ReproduçãoForbes
  • Royal Gold Medal

    Zaha procura, através da arquitetura, “excitar, acalmar, e fazer você pensar”.

    Dirigindo-se ao Instituto Real de Arquitetos Britânicos em Londres em 2016, um mês antes de sua morte, ela se defendeu contra alegações de que seu trabalho visionário era “auto-indulgente e voluntarioso”.

    Segundo ela, todos os seus projetos curvilíneos e complexos eram sobre ultrapassar fronteiras e criar progresso social e “bem-estar coletivo”. Algo que requer “complexidade espacial e abertura”.

    Tudo isso pode ser visto no Opus e no design de interiores do ME Dubai. O discurso coincidiu com a premiação de Zaha com a Royal Gold Medal de arquitetura -a primeira arquiteta a realizar esse feito sozinha nos 171 anos de história do prêmio.

    ReproduçãoForbes

Noite iluminada

O Opus, de 20 andares, brilha à noite como uma imensa camada de gelo polar iluminada por neon, com um cubo de gelo gigante no meio. “Ele assume a forma de um cubo pairando no chão, com um vazio no meio”, disse Zaha durante a construção. “Seu interior revestido com vidro duplo colorido permite vistas da parte interna e dos platôs externos, proporcionando áreas de lazer, recreação e descanso”.

Durante o dia, as “estrias pixeladas” (padrões gráficos na fachada de vidro) são projetadas para modular a luz. Essa é uma medida ecológica prometida pelo Meliá, recentemente nomeado o grupo hoteleiro mais sustentável do mundo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).