Os 11 uísques mais subestimados do mundo

gettyimagesMarianna-Massey
gettyimagesMarianna-Massey

No futuro imediato, algumas das mais famosas e adoradas marcas de uísque se tornarão escassas

Pappy Van Winkle. Port Ellen. Yamazaki. The Macallan. Se você é, no mínimo um consumidor ocasional de uísque, conhece bem os nomes. Porém, se é um conhecedor completo, amaldiçoa o fato de não conseguir mais encontrá-los nas prateleiras. A integração de bebidas destiladas em todas as categorias –bourbon, rye, scotch, irlandês, japonês– é uma das grandes histórias de sucesso comercial do século 21. Mas nem tudo são flores. Infelizmente, todo esse líquido precioso leva tempo para amadurecer. Nos negócios de uísque, isso significa que a oferta efetivamente atrasa a demanda por vários anos –às vezes várias décadas.

Em outras palavras: no final dos anos 1990, nenhuma destilaria estava depositando o líquido necessário para satisfazer a sede voraz de hoje. Então, agora não há garrafas suficientes para suprir a vontade dos consumidores. No futuro imediato, as adoradas marcas mencionadas acima se tornarão mais escassas; ainda mais estreitamente alocadas. Mas há um ponto importante a considerar. Enquanto os destilados citados caminham em direção ao hype, como turistas na Times Square, algumas bebidas sensacionais, porém desconhecidas, ficam intocadas nas prateleiras.

VEJA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Para cada garrafa de Pappy 15, há um bourbon de qualidade comparável que custa um décimo do preço. A bebida pode até estar coletando poeira enquanto você lê isso. Os especialistas sabem desse fato. E agora, você também. Na galeria abaixo, 11 dos autores mais reconhecidos do setor revelam as bebidas que consideram subestimadas.

  • Glen Scotia Double Cask

    “Quem procura um exemplo genuíno de regionalidade em scotch’s precisa explorar Glen Scotia, em Campbeltown. Ele tende a ser esquecido em favor do Springbank, mas tem um sabor único, de nenhum outro uísque que eu já experimentei. Pense em enormes notas marítimas/costeiras: spray de mar, potes de lagosta, alguma turfa macia e medicinal, e você está no meio do caminho, partindo para o belo passeio pela península de Kintyre.”

    Neil Ridley, autor de “World of Whisky”

    ReproduçãoForbes
  • Speyburn Single Malt Scotch Whisky 10 Anos

    “Eu não contribuo mais com essas histórias. Já vi muitos uísques subirem de preço ou desaparecerem depois de aparecerem em algum lugar, e não terei mais nada a ver com eles. Não se sinta ofendido, isso é para acumuladores loucos. Weller, Heaven Hill Bonded 6, Old Grand-Dad, Elijah Craig, Redbreast, Glenrothes, Highland Park, tudo japonês! Ok, acho que o Speyburn 10 é subestimado, mas ninguém jamais acreditará nisso.”

    Lew Bryson, autor de “Whisky Master Class”

    ReproduçãoForbes
  • Evan Williams (bottled in bond)

    “Eu bebi por muito tempo, porque é barato e sempre disponível. No ano passado, fiz uma degustação às cegas, onde o coloquei em uma competição com outros bourbons baratos, e essa linda garrafa de US$ 12 [preço nos EUA], encharcada de noz-moscada, venceu com bastante facilidade.”

    Fred Minnick, autor de “Bourbon Curious”

    ReproduçãoForbes
  • Oppidan

    “É um uísque esquisito, um bourbon terminado em barris de Islay Scotch, então é meio doce, meio esfumaçado, meio salino. Não se encaixa perfeitamente em nenhuma categoria, mas merece mais amor. Seria uma penicilina selvagem.”

    Kara Newman, autor de “Cocktails with a Twist”

    ReproduçãoForbes
  • Akashi (carvalho branco)

    “Existem muitas destilarias novas no Japão, mas a mais subestimada, na minha opinião, é a Eigashima (que engarrafa seus destilados de malte sob a marca Akashi), e ela não é novata no mercado. Na verdade, obteve sua licença de uísque há 101 anos –sim, isso é antes da Yamazaki! Eles fazem do uísque um negócio secundário, durante os meses quentes do verão, quando não estão ocupados fazendo saquê, e seu uísque é muito característico para algumas pessoas. Não é limpo, delicado, harmonioso, mas áspero, sujo e descolado. A analogia não é perfeita, mas eles são o equivalente japonês do Springbank. Não há exageros –de sua própria fabricação ou consumidor– é gostoso tomá-lo e ainda é relativamente fácil de encontrar, o que não é algo que se possa dizer da maioria dos uísques japoneses.”

    Stefan Van Eycken, autor de “Whiskey Rising”

    ReproduçãoForbes
  • Belle Meade (bourbon finalizado em barris de xerez)

    “O Belle Meade não recebe tanta atenção quanto muitas marcas de uísque por aí, mas a destilaria está produzindo uma bebida incrível. Sou parcial com a expressão do barril de xerez porque amo opções com nozes e notas de umami.”

    Kat Odell, autora de “Day Drinking”

    ReproduçãoForbes
  • Old Forester 1920 Prohibition Style Bourbon

    “O Old Forester 1920 é, por falta de uma palavra melhor, um ‘enfeite de prateleira’ –ou seja, está sempre na loja de bebidas, sempre na prateleira. Também é um produto da Brown Forman (os mesmos fabricantes de Jack Daniel’s), o que significa que a maioria dos esnobes auto-descritos do mundo do uísque se consideram bons demais para isso. Mas essas pessoas se preocupam com o hype e não com a qualidade. Se 1920 não é um dos bourbons mais ricos, complexos e deliciosos do mundo, eu não sei o que é. É absolutamente melhor do que muitos dos produtos “alocados” que você nunca verá nas prateleiras – incluindo a edição limitada da própria marca, Birthday Bourbon.”

    Aaron Goldfarb, autor de “Hacking Whisky”

    ReproduçãoForbes
  • Glengoyne Single Malt Scotch Whisky 18 anos

    “Talvez uma das melhores ofertas de preço no repertório escocês. Barril de xerez 100% amadurecido, sem deixar vestígios de turfa e, aos 18 anos, mantém uma riqueza e equilíbrio de sabores. Faz com que o mito ‘todo escocês é turfoso’ seja colocado de lado.”

    Robin Robinson, autor do curso “Complete Whiskey”

    ReproduçãoForbes
  • Compass Box Great King Street Blended Scotch Whisky

    “Nunca subestime o valor de uma bom blend de scotch. Esta marca acaba com esse conceito: elegante, ótimo sabor em um highball e conversa bem com sucos e outros coquetéis.”

    Amanda Schuster, autora de “New York Cocktails”

    ReproduçãoForbes
  • Evan Williams Black Label

    “Evan Williams Black Label é tudo que um bourbon deveria ser. Tem um pouco de tempero, embora ainda tenha aquela sensação de bourbon arredondado. E aqui está o segredo: o bourbon não deve ser caro. Uma garrafa 750 ml dessas custará US$ 15 ou menos [nos EUA].”

    John McCarthy e Carey Jones, coautores de “Be Your Own Bartender”

    ReproduçãoForbes
  • The Balvenie DoubleWood 12 Anos

    “Este é um dos meus uísques favoritos de todos os tempos e que eu não o vejo recebendo o amor que merece. David Stewart é uma lenda que está em Balvenie há quase 60 anos. Ele cita rotineiramente essa expressão como sua favorita de todos os tempos. Melhor custo-benefício em scotch na minha opinião.”

    Dan Dunn, autor de “American Wino”

    ReproduçãoForbes

Glen Scotia Double Cask

“Quem procura um exemplo genuíno de regionalidade em scotch’s precisa explorar Glen Scotia, em Campbeltown. Ele tende a ser esquecido em favor do Springbank, mas tem um sabor único, de nenhum outro uísque que eu já experimentei. Pense em enormes notas marítimas/costeiras: spray de mar, potes de lagosta, alguma turfa macia e medicinal, e você está no meio do caminho, partindo para o belo passeio pela península de Kintyre.”

Neil Ridley, autor de “World of Whisky”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).