Entenda o que é a estética japandi, nova aposta do mercado de decoração

Getty Images
Getty Images

Tendência une estéticas japonesa e escandinava ao criar elementos minimalistas e acolhedores

Em dezembro de 2020, o Pinterest divulgou um relatório completo com as previsões para as tendências de lifestyle em 2021. Entre as categorias do “Pinterest Predicts” que mais se destacaram estavam lar e decoração, que cresceram significativamente com o aumento do home office no ano passado. Nesse segmento, o que vem chamando atenção de arquitetos e designers de todo o mundo é a tendência japandi, uma nova estética que une elementos de decoração japoneses e escandinavos.

Embora as duas regiões pareçam muito distantes tanto cultural quanto geograficamente, notou-se nos últimos tempos como essas estéticas seguem caminhos semelhantes.

VEJA TAMBÉM: Aspen Club está prestes a retomar seu posto de ponto de encontro de atletas e personalidades

O design do estilo japandi é caracterizado pela simplicidade somada à praticidade e preza pela valorização de elementos naturais e manufaturados. As referências decorativas dos ambientes puxam para linhas limpas, com uma paleta de tons terrosos e cores neutras e suaves. Juntos, esses elementos acabam valorizando a luz natural e a natureza como um todo, detalhe muito importante para as culturas do Japão e da Escandinávia.

“Em 2020, nossas casas se transformaram em um espaço múltiplo, no qual a rotina de descanso, trabalho e estudos se esbarram pelos cômodos e brigam por espaço. O minimalismo e a funcionalidade presentes no estilo japandi são essenciais para que nossas casas possam se reinventar e se adaptar às nossas reais necessidades, sem deixar de ser um lugar de descanso”, afirma Isabela Caserta, designer de produto na MadeiraMadeira, startup curitibana que acaba de se tornar unicórnio, empresa de tecnologia com valor de mercado de US$ 1 bilhão. Segundo Maurício Ferro, gerente de marketing da Tok&Stok, a marca registrou alta na procura de peças de inspiração japandi com destaque para itens em madeira maciça, cestos feitos artesanalmente em bambú e acessórios em alumínio escuro.

Segundo Patricia Pomerantzeff, arquiteta e dona do canal no YouTube Doma Arquitetura com quase 1 milhão de inscritos, 2020 mostrou a importância de se ter um espaço de trabalho organizado, da mesma forma que é essencial investir em um ambiente tranquilo para descanso ou uma cozinha prática que não tome muito tempo. E embora seja uma estética minimalista, o japandi é o oposto de uma casa vazia. “Eu entendo essa característica como uma escolha correta de cada objeto e de cada móvel, uma curadoria minuciosa. Menos peças e peças muito especiais”, afirma Patricia.

Veja, na galeria de imagens a seguir, algumas inspirações de decoração japandi:

  • A vez do imperfeito

    O conceito japonês wabi-sabi tem presença forte no estilo japandi e remete à valorização e aceitação do imperfeito. Patrica Pomerantzeff, da Doma Arquitetura, explica que “nos dois estilos é possível notar essa característica com a presença de elementos naturais e artesanais. Algo feito artesanalmente remete à imperfeição e como ela traz aconchego para o ambiente e o tornam mais humanizado.”

    Divulgação
  • Japandi em terras brasileiras

    O tema decoração ficou em evidência em 2020, em um momento em que as pessoas se abrigavam em suas casas e perceberam a necessidade de investir em elementos que tornassem o ambiente mais funcional e saudável. “O minimalismo é tão complexo quanto o maximalismo e ver a evolução de um estilo múltiplo é muito bacana. É belo poder trabalhar com a simplicidade das linhas arquitetônicas já conhecidas do scandi, unidas com a elegância do minimal japonês. O combo perfeito para o nosso país, com materiais mais naturais, sem excessos e funcionais”, afirma Luana Guimarães, designer de produto no Westwing Brasil.

    Divulgação
  • Rústico, mas acolhedor

    Patricia afirma que sentir um aconchego e conforto dentro de casa influencia positivamente a qualidade de vida dos moradores. Segundo a arquiteta, alguns anos atrás esperava-se que o design seguiria uma linha contemporânea e totalmente clean, com linhas retas e sem espaço para texturas. Hoje, o que se observa é justamente o oposto. “As previsões do mundo da decoração são repletas de texturas, elementos rústicos, bordas irregulares e revestimentos feitos pelas indústrias, mas com inspiração artesanal.”

    Divulgação
  • Cores são bem-vindas

    Embora a paleta de cores do estilo japandi esteja mais voltada para tons neutros e terrosos, os designers e arquitetos estão livres para sugerir pontos de cores nos ambientes, com a inclusão de plantas e vasos com folhagens vibrantes, por exemplo. “O uso de materiais naturais, como madeira e palha e tudo o que realmente remete à natureza vai aumentar, porque a gente se sente bem na natureza. A cor vem da própria natureza para dentro de casa”, completa Patricia.

    Divulgação/Tok&Stok

A vez do imperfeito

O conceito japonês wabi-sabi tem presença forte no estilo japandi e remete à valorização e aceitação do imperfeito. Patrica Pomerantzeff, da Doma Arquitetura, explica que “nos dois estilos é possível notar essa característica com a presença de elementos naturais e artesanais. Algo feito artesanalmente remete à imperfeição e como ela traz aconchego para o ambiente e o tornam mais humanizado.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).