Exposição em Nova York questiona se o artista de rua Banksy é um gênio ou uma fraude

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

A famosa pintura, batizada de “Girl With Balloon”, foi leiloada por US$ 1,4 milhão na Sotheby’s de Londres

Três anos atrás, uma tela pintada com spray pelo artista de rua Banksy foi leiloada por US$ 1,4 milhão na Sotheby’s de Londres. A famosa pintura, batizada de “Girl With Balloon”, algo como “Garota com Balão”, em português, se autodestruiu em uma brincadeira orquestrada pelo próprio artista momentos depois de ser vendida. A tela deslizou por um triturador escondido dentro da moldura e a pintura surgiu no chão, em tiras. Banksy postou uma imagem da cena em sua conta do Instagram com a legenda “Going, going, gone…” (“Indo, indo, foi”, em tradução livre), para a qual o chefe de arte contemporânea da Sotheby’s respondeu: “Parece que acabamos de terminar o leilão do Banksy.”

Não sabemos muito sobre Banksy – nem mesmo seu nome real – já que ele nunca aparece em público. O grafiteiro cria seus trabalhos com a técnica stencil, principalmente em paredes e no meio da noite, para que não seja pego. Há boatos de que nasceu em Bristol, na Inglaterra, mas, fora isso, pouco se sabe sobre sua história. Mesmo assim, ele é considerado o mais polêmico artista de rua da atualidade, usando sua arte para comunicar sua insatisfação com questões sociais e situações políticas.

LEIA MAIS: Os 13 melhores lançamentos de livros para conferir em setembro

Seria Banksy um impostor ou um mestre brilhante? Agora, os amantes da arte podem decidir por si próprios. Uma exposição chamada “Banksy: Genius or Vandal” (“Banksy: Gênio ou Vândalo”, em português) acaba de ser inaugurada na 14th Street com a Sixth Avenue na cidade de Nova York. São 80 peças, a maior coleção do mundo de obras de arte do grafiteiro.

Embora o stencil remonte a milhares de anos, é por essa técnica de pintura que Banksy é conhecido. Cerca de 500 anos atrás, os romanos já expressavam sua insatisfação com o Vaticano deixando mensagens ou sátiras poéticas escritas em stencil em estátuas. Pela manhã, as mensagens eram removidas ou pintadas. Banksy parece continuar essa tradição com sua arte de rua satírica.

A exposição combina obras originais, esculturas, instalações, vídeos, fotos e obras de rua perdidas. Há também uma instalação multimídia criada exatamente para esse espaço, destacando as peças mais importantes do artista e revelando pistas sobre suas criações.

“Cada visitante da exposição pode decidir se Banksy é gênio ou vândalo, artista ou empresário, provocador ou rebelde”, disse Alexander Nachkebiya, curador da mostra. “Banksy convida à reflexão e deixa o visitante decidir. Seu trabalho é relevante e completo e suas imagens falam e penetram em nossas almas.”

Muitos críticos afirmam que o trabalho dele é uma cópia de Blek le Rat, um artista de rua francês que explorou a arte do grafite com stencil de 1981 a 1983 em Paris. Le Rat visitou os Estados Unidos em 1971 e não queria imitar os grafiteiros norte-americanos, então começou a borrifar pequenos ratos nas ruas de Paris. “Os ratos são os únicos animais selvagens vivos nas cidades e apenas eles sobreviverão quando a raça humana tiver desaparecido e morrido”, disse Le Rat.

Embora os estilos de Banksy e Blek le Rat sejam quase idênticos, Banksy já brincou com a situação. “Cada vez que penso que pintei algo ligeiramente original, descubro que Blek le Rat também o fez, vinte anos antes”, destacou. Seria simples coincidência o fato de Banksy gravar ratos semelhantes aos de Blek le Rat duas décadas depois nas paredes de Londres?

Seja original ou imitador, mais de três milhões de visitantes viram esta exposição em países como Moscou, São Petersburgo, Madri, Málaga, Hong Kong, Milão, Lisboa, Las Vegas, Yokohama, Osaka e Nagoya.

A exposição de Nova York acontece em dois grandes andares de galerias. Por um custo adicional, há um show de realidade virtual de dez minutos em que os visitantes vagueiam por corredores e ruas cobertos de grafite. A exposição foi criada pela produtora de entretenimento Exhibition Hub and Fever e destaca o mundo de Banksy em um local seguro para a família e com medidas de segurança contra a Covid-19. “Banksy: Genius or Vandal?” vai até 28 de novembro. Os ingressos estão disponíveis por valores a partir de US$ 29,50.

Confira, na galeria abaixo, algumas pinturas de Banksy:

  • Obra “Napalm (Can’t Beat That Feeling)”.

    Reprodução/Forbes
  • Obra “Shop Until You Drop”.

    Reprodução/Forbes
  • Obra “Very Little Helps”.

    Reprodução/Forbes

Obra “Napalm (Can’t Beat That Feeling)”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).