Amber Heard apela da decisão de que difamou o ex-marido Johnny Depp

Após um julgamento televisionado de seis semanas, o júri decidiu que Heard difamou Depp e concedeu a ele uma indenização de US$ 10,35 milhões

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Amber Heard em tribunal da Virgínia, EUA

Acessibilidade


A atriz Amber Heard entrou com uma ação hoje (21) para apelar da decisão de um júri da Virginia, no mês passado, de que ela difamou o ex-marido Johnny Depp, quando alegou em um artigo de opinião publicado em um jornal de que era uma sobrevivente de violência sexual, segundo documentos do tribunal.

Após um julgamento televisionado de seis semanas, um júri com sete pessoas decidiu que Heard difamou Depp e concedeu à estrela de “Piratas do Caribe” uma indenização de US$ 10,35 milhões (R$ 56 milhões). O júri também determinou que Heard foi difamada e concedeu a ela US$ 2 milhões (R$ 10,9 milhões).

Leia também: Campanha contra Amber Heard é um dos “piores casos de cyberbullying”, diz relatório

A equipe de Heard afirmou que está em busca de garantir justiça por meio da apelação.

“Acreditamos que o tribunal cometeu erros que impediram um veredito justo e consistente com a Primeira Emenda”, disse um porta-voz à Reuters. “Portanto, apelamos do veredito.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os advogados de Depp não responderam ao pedido da Reuters por comentário em um primeiro momento.

Durante o julgamento, Depp disse que nunca bateu em Heard ou abusou sexualmente dela e argumentou que foi ela quem ficou violenta ao longo do relacionamento. Heard disse que estapeou Depp, mas apenas em defesa de si mesma e da sua irmã.

Compartilhe esta publicação: