Anvisa recebe pedido de uso emergencial de vacina da Janssen contra Covid-19

Entrega de 16,9 milhões do imunizante no país tem previsão entre julho e setembro e 21,1 milhões de outubro a dezembro.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Divulgação via Reuters
Divulgação via Reuters

A vacina da Janssen, braço da norte-americana Johnson & Johnson, se destaca por requerer somente uma dose para imunização

Acessibilidade


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu ontem (24) pedido para uso emergencial no Brasil da vacina contra Covid-19 da farmacêutica Janssen, braço da norte-americana Johnson & Johnson, informou o órgão em comunicado.

Segundo a agência, já foi iniciado o processo de triagem dos documentos presentes no pedido, o que deve durar 24 horas. Em caso de informações insuficientes, a Anvisa pode solicitar dados adicionais ao laboratório.

LEIA TAMBÉM: Anvisa autoriza estudo de soro do Butantan contra o coronavírus em humanos

O Brasil possui acordo com a Janssen para a aquisição de 38 milhões de doses da vacina da empresa, com previsão de entrega de 16,9 milhões de doses entre julho e setembro e 21,1 milhões de outubro a dezembro.

A vacina do laboratório da Johnson & Johnson se destaca por requerer somente uma dose para imunização. Ela já tem sido utilizada nos Estados Unidos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Anvisa afirmou que pretende concluir a análise sobre o pedido de uso emergencial do imunizante em até sete dias úteis.

Até o momento, a Anvisa concedeu autorização para uso emergencial da vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, que tem sido a principal utilizada na campanha de imunização do país.

A agência também concedeu registro definitivo de uso para o imunizante da AstraZeneca, que é produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e está sendo usado no país em menor escala, e para a vacina da Pfizer, esta já contratada pelo governo, mas ainda não recebida. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: