Ibovespa fecha em alta liderada por Natura e JBS

Reuters
Reforma da Previdência continua no radar do mercado

O Ibovespa fechou em alta hoje (25), com Natura disparando (aumento de 10%) em meio a expectativas mais favoráveis sobre uma eventual fusão com a Avon, enquanto JBS renovou máximas recordes (salto de 6%, a R$ 20,16) com perspectivas positivas sobre a demanda chinesa e autorização para exportar frango para a Índia.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha em baixa de 0,92%

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,34%, a 96.321,03 pontos, de acordo com dados preliminares. Mais cedo, recuou 0,88% no pior momento.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje que a “previsão mínima” de economia com a reforma da Previdência é de R$ 800 bilhões em 10 anos, abaixo da proposta atualizada do Ministério da Economia, de R$ 1,237 trilhão, mas dentro de previsões no mercado.

Economistas do UBS têm como cenário base uma economia entre R$ 600 bilhões e R$ 800 bilhões e estimam que o governo deverá trabalhar arduamente para alcançar algo nesse intervalo.

No final da manhã, a Câmara dos Deputados também instalou a comissão especial que analisará o mérito da PEC na Casa. O colegiado terá um prazo de 40 sessões, a partir de sua constituição, para proferir parecer.

A consultoria Arko Advice calcula que a conclusão da votação da matéria na Câmara deve acontecer até meados de agosto, conforme nota a clientes, o que confirmaria expectativas no mercado de um desfecho apenas no segundo semestre, e não no primeiro como se conjecturou anteriormente.

No exterior, Wall Street encerrou sem direção única, com os índices vulneráveis a resultados corporativos de grandes empresas de tecnologia e do setor industrial. Nasdaq e S&P 500 fecharam no azul, mas o Dow Jones encerrou em queda.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).